Clicky

Home - Convergência Digital

Oito anos depois, teles seguem brigando pela faixa de 450 MHz

Luís Osvaldo Grossmann - 17/09/2020

Mais de três anos depois e a Anatel ainda está às voltas com o leilão realizado em 2012, o primeiro do 4G, no qual as teles móveis ficaram com a faixa de 450 MHz. O tempo passou e apesar de não terem implantado as redes com as quais se comprometeram no leilão, Vivo, Claro, TIM e Oi brigam para não terem que devolver a fatia de espectro que, vale lembrar, carregaram à contragosto na época por se tratar de cobertura na área rural. 

Em maio do ano passado, depois de dois anos de discussões no Conselho Diretor, a agência concluiu por atender parte dos pleitos das operadoras: no lugar das redes fixas que prometeram, seriam aceitos como cumprimento das obrigações editalícias os acessos viabilizados com conexões via satélite. Mas considerando que o satélite foi usado justamente porque as redes em 450 MHz não foram feitas, a Anatel decidiu no mesmo ato tomar de volta o espectro. 

As empresas reclamam de exigências do regulador com base no ganho que tiveram por não instalar as redes terrestres previstas no edital. E querem ficar com a faixa. Dois meses depois daquela decisão, em julho do ano passado, as operadoras recorreram. Nesta quinta, 17/9, o pleito parecia chegar finalmente ao colegiado, mas o relator, Vicente Aquino, pediu mais 30 dias para analisar. 

Dado o prazo alongado do tema, o presidente da agência, Leonardo de Morais, consignou “um renovado senso de urgência para decisão da matéria”, lembrando que o aprovado em 2019 contribui para inclusão ao exigir conexões até 30 km das sedes municipais e coberturas das escolas públicas. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Oi acerta corte de 50% em multas da Anatel, para R$ 7 bilhões, mas conta pode cair para R$ 4 bilhões

27/11/2020
Anatel abre licitação para elaboração de novo modelo de custos

27/11/2020
Anatel encerra ciclo de TACs em acordo fraco com Algar

27/11/2020
Com prioridade pra TVs, Anatel divide sobras de R$ 1,4 bilhão da TV Digital

26/11/2020
Para acabar com troca-troca de planos pelas teles, Anatel vai impedir mudanças em menos de 12 meses

26/11/2020
Anatel renova faixa de 850 MHz para Vivo, mas nega pedido de redução de preço

23/11/2020
Anatel abre licitação de R$ 7,2 milhões para chamadas pelo 1331

12/11/2020
Anatel e ABDI vão testar uso industrial e redes privadas no 5G

12/11/2020
Carlos Baigorri é o novo relator do edital do 5G na Anatel

10/11/2020
No STF, Anatel defende gratuidade do direito de passagem

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site