Clicky

Convergência Digital - Home

AWS: TI tem de estar atenta à LGPD e aos papéis do cliente e do provedor de nuvem

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 10/02/2021

Para além das questões eminentemente jurídicas da Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), as áreas de tecnologia da informação das empresas, o que vale desde os microempreendedores individuais, devem estar atentas aos diferentes conceitos trazidos pela legislação. E em especial diante do cada vez mais comum uso de sistemas de computação em nuvem, entender os papeis de cliente e provedor. 

“A questão da responsabilidade compartilhada é extremamente importante, até porque os provedores de serviços e os clientes têm responsabilidades conjuntas, ou cada um sobre algum aspecto”, lembrou o líder de conformidade técnica da AWS Brasil para o setor público, Fernando Gebara, em webinar realizado nesta quarta, 10/2, como parte da Semana de Segurança de Dados. 

“Por exemplo, obter consentimento do usuário para uso e compartilhamento dos dados, ou notificar o usuário o que se faz com os dados. Isso é uma parte que está com o cliente, seja o consentimento ou a determinação de como é feito o tratamento. Agora, quando fala que o dado é criptografado, com uma chave XYZ, esse aspecto é executado pelo provedor de serviços, uma vez que o cliente define. O provedor do serviço tecnológico é que faz esse trabalho.”

“A LGPD rege apenas os aspectos relativos ao processamento de dados pessoais. Toda a massa de dados de contabilidade, ou de processamentos internos, por exemplo, se não contiver dado pessoal, não é regida pela LGPD. Mas todas as organizações, especialmente a partir de um problema detectado, têm que demonstrar que adotou aspectos de segurança, procedimentos, processos, que comprovem que estava agindo da melhor forma possível, incluindo demonstrar a eficácia dessas medidas. Determinar quem fez acesso, quando os acessos ocorreram, por exemplo, são aspectos que as empresas precisam demonstrar que são capazes de fazer.”


Destaques
Destaques

Sky nega venda de data center e quer ter 100% dos sistemas na nuvem em 2022

"O projeto era ter tudo este ano, mas tivemos que rever por conta da pandemia. Vamos ficar com 80% dos sistemas de TI na nuvem da Oracle. Mas isso não significa que vamos nos desfazer do nosso data center. Ele será realocado para a Engenharia", afirmou André Nazaré, diretor de TI da Sky Brasil.

Teradata é 100% cloud e open source

Há 40 anos no Brasil, empresa disse adeus ao hardware para ser uma companhia de software e de computação em nuvem. "Boa parte das empresas trata os dados como uma mercadoria. Eles estão em silos, mal gerenciados e inacessíveis para quem precisa", observa o diretor geral da Teradata no Brasil, Fabio Oliveira.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.

Como a IaaS está alinhada ao seu negócio?

Por Fábio Lucinari*

Cada vez mais é preciso considerar que as opções convencionais de TI tendem a ser ineficientes no trabalho de auxiliar as companhias a se adaptarem às necessidades e aos desafios do cenário atual. Infraestrutura como serviço oferece soluções projetadas sob medida e aprimoram o consumo da área de tecnologia.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site