Home - Convergência Digital

Fazendas da Atto Sementes contratam 4G e IoT da Vivo

Convergência Digital - 18/12/2019

A Vivo Empresas - área voltada ao segmento B2B da Telefônica Brasil, foi contratada para ficar à frente de um projeto de conectividade com a Atto Sementes, empresa produtora de sementes de soja e milheto do país. Os valores acertados entre as partes não foram revelados.

O projeto prevê cobertura móvel 4G e redes para aplicações baseadas em internet das coisas, na região de Alto das Garças - MT. A infraestrutura de conexão, além da rede móvel, inclui as redes Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M), direcionadas para atender as reais necessidades dos clientes, garantindo aos dispositivos conectados maior autonomia de bateria e operação mais eficiente.

A conectividade ofertada cobre toda a área da Atto Sementes, situada na região de Alto Garças (Itiquira, Guiratinga e Pedra Preta) no estado do Mato Grosso, e impactará na automação, baseada em internet das coisas, de todo seu maquinário agrícola, caminhões, estações meteorológicas e pluviômetros digitais, sendo a etapa final da entrada da empresa no conceito de Fazenda 4.0, otimizando seus recursos e dando maior velocidade na tomada de decisão, o que na agricultura, é um grande diferencial para o ganho de competitividade.

Enquanto a rede NB -- IoT responde melhor por dispositivos portáteis - com aplicações de sensoriamento do clima como temperatura ambiente, humidade do solo e incidência solar, tipicamente utilizadas em estações meteorológicas - a tecnologia LTE-M apresenta melhor performance em aplicações que demandam mais mobilidade, como telemetria de maquinários agrícola como tratores, implementos, colhedoras e colheitadeiras.

Estas tecnologias, serão essenciais para suportar o grande número de dispositivos conectados previsto para os próximos anos, possibilitando que essas aplicações absorvam todas as características das novas redes, com alta autonomia de bateria, e melhor cobertura do sinal, especialmente em ambientes remotos ou longínquos.

"Nosso ecossistema digital para o agronegócio inclui soluções relacionadas à automação de sistemas de irrigação, telemetria de maquinário, controle de ganho de peso animal, soluções de controle de praga, adubação e fertilização", explica o head de Internet da Coisas, Big Data e Inovação B2B, Diego Aguiar. "Estas soluções devem atender as demandas de produtores de grãos, etanol, cultura perene, e pecuária", finaliza.

Outra vantagem se concentra no fato de as novas redes estarem integradas à Vivo Kite Plataform® - plataforma própria de gestão de dispositivos IoT da companhia. Desta forma, o cliente passa a ter uma gama de funcionalidades cruciais que darão sustentação ao volume massivo de linhas e dispositivos conectados. Dentre os principais benefícios, é possível habilitar ou desabilitar serviços, acompanhar o status das conexões em tempo real, sua localização aproximada e até mesmo evitar uma utilização indevida de um equipamento não autorizado.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

06/07/2020
UISA, de bionergia, contrata Vivo para ter 4G e IoT na produção de bionergia

01/07/2020
ConectarAgro quer 13 milhões de hectares na área rural com conexão 4G até o fim de 2021

29/06/2020
Senador pede regime de urgência para IoT para acelerar geração de emprego e renda

23/06/2020
Indicator Capital vai gerir fundo de IoT do BNDES e Qualcomm Ventures

16/06/2020
Startup pernambucana capta R$ 3,5 milhões e investe para expandir IoT na saúde

12/06/2020
Bayer dá acesso gratuito a ferramenta de coleta de dados para agricultura digital

10/06/2020
Regulamentação de IoT passa por tratar a coleta e a proteção dos dados

08/06/2020
Centro de Operações Rio usa rede neutra IoT da American Tower

08/06/2020
TIM inicia piloto de IoT e IA para monitoramento de granjas da JBS

15/04/2020
Internet das Coisas: Quase 30% das empresas sofreram incidentes de segurança

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site