GOVERNO » Compras Governamentais

Nuvem pública do governo tem adesão de 23 órgãos e bate R$ 55 milhões em serviços

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/02/2020 ... Convergência Digital

Licitada no fim de 2018, mas paralisada por 10 meses por disputa judicial, a primeira nuvem pública do governo federal reúne 23 órgãos públicos, 10 deles que constavam da ata original e mais 13 ‘caronas’ que confirmaram adesão. Como resultado, o pregão de R$ 29,9 milhões já alcançou R$ 55 milhões em contratações de serviço. 

Segundo ressalta a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, é praticamente o valor máximo que poderia ser atingido pelas regras dessa licitação, uma vez que se admitem contratações adicionais de até o dobro do valor da ata de registro de preços. 

“Por conta do processo judicial, que só foi concluído em outubro, tivemos atraso nas implantações previstas para o ano passado e que ficaram para 2020. Mas deu tempo de mais órgãos se prepararem, inclusive instituições de peso, como o Ministério da Saúde e agências como ANTT, Aneel e ANA”, afirma o diretor do Departamento de Operações Compartilhadas da Secretaria de Governo Digital, Merched de Oliveira. 

Além da própria SGD, ainda como parte do Ministério do Planejamento quando realizado o pregão, a ata original incluía Ministério da Fazenda, Cade, Anvisa, Controladoria Geral da União, Instituto Federal de Educação do Piauí, Iphan, ICM-Bio, Enap, Esaf, Polícia Rodoviária Federal e a Agência Brasileira Gestora da Fundos Garantidores e Garantias. Desses, a Esaf foi absorvida pela Enap. E a Anvisa acabou ficando de fora.

O pregão, realizado em novembro de 2018, foi vencido pela Embratel, por meio da subsidiária Primesys em parceria com a AWS, por R$ 29,9 milhões. Mas vários outros órgãos federais foram demonstrando interesse em aderir ao longo do ano passado. E quando terminou a disputa judicial movida pela segunda colocada do pregão, já em outubro de 2019, outros 12 órgãos aderiram à ata. 

Além dos já citados Ministério da Saúde, ANTT, Aneel e a Agência Nacional de Águas, também aderiram o Conselho Nacional de Justiça, INSS, o fundo de previdência dos servidores federais Funpresp-EXE, Instituto Federal do Paraná, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Instituto Federal Norte de Minas Gerais (INFMG), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e a Embratur.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Coronavírus: Senado faz primeira votação a distância da história

Os senadores votaram de suas casas onde cumprem quarentena por causa do Covid-19 e aprovaram a decretação do estado de calamidade pública como forma de combate ao Covid-19.

Telebras projeta receita bruta de R$ 383,64 milhões em 2020

Na lista de venda do governo Bolsonaro, a estatal diz que o montante é uma mera previsão, uma vez que não há garantia de desempenho futuro. Em 2018, a receita líquida da Telebras ficou em R$ 199 milhões – foram R$ 73 milhões em 2017.

Relatora da nova lei das teles assume presidência da CCT no Senado

Daniella Ribeiro (PP-PB), que manteve sem alterações o projeto que se tornou a Lei 13.879/19, foi indicada pelo partido depois que o atual presidente da comissão, Vanderlan Cardoso, migrou para o PSD. "Depois do PLC 79, o que vier está fácil", disse a nova presidente. 5G está na pauta dos debates.

PGR: Há razão legal para STF julgar privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

A Procuradoria Geral da República, em parecer dado para a ação do PDT contra a privatização das estatais de TI, admite que a inclusão delas no Plano Nacional de desestatização abre procedente para julgamento na Suprema Corte.

MPF: Governo não precisa de consentimento para cruzamento de dados

Em ação do Instituto Nacional Anísio Teixeira (INEP) contrária a entrega de dados pessoais individualizados de estudantes ao TCU, Ministério Público alega que administração não precisa de autorização dos titulares mesmo no caso de dados sensíveis. 



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G