Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Via Direta processa Telebras por acordo com Viasat

Luís Osvaldo Grossmann ... 16/03/2018 ... Convergência Digital

A Via Direta Telecom, de Manaus, avisa que ingressa nesta sexta-feira, 16/3, com uma ação que questiona a negociação entre a Telebras e a empresa norte-americana Viasat e pede a suspensão do contrato pelo qual a estatal terceirizou toda a capacidade de banda Ka do satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégias. 

“Vamos entrar ainda hoje com essa ação para suspender o contrato com a Viasat e obrigar a Telebras a cumprir o pré-contrato conosco. Tenho as atas das reuniões com os executivos da Telebras, que me incentivaram a adquirir os equipamentos. Fiz um consórcio com a empresa iDirect e investi US$ 3,5 milhões para 10 mil Vsats. São equipamentos customizados para as frequências do satélite, que recebi em acordo de confidencialidade com a Telebras”, afirma o dono da Via Direta, Ronaldo Tiradentes. 

Na estatal, a leitura é de que os argumentos da Via Direta estão distorcidos. Que na prática jamais houve qualquer pré-acordo com a empresa de Manaus, mas tão somente um ‘non disclosure agreement’, ou seja, acordo de não divulgação, como foram também firmados em tratativas com várias potenciais parceiras para a oferta da conectividade via satélite. O próprio NDA prevê que eventuais custos são de responsabilidade total das interessadas. 

A estratégia inicial da Telebras foi licitar a capacidade em banda Ka do satélite, de 58 Gbps, mas depois de três adiamentos, o leilão realizado no fim de outubro de 2017 resultou deserto. A estatal, então, passou a desenhar um ‘plano B’ e abriu conversas com várias empresas. Em fevereiro deste 2018, anunciou o acordo que prevê a transferência de 100% da banda Ka para a americana Viasat. Segundo a Telebras, “a Viasat alavancará a rede satelital do SGDC-1 para explorar serviços de satélite em comunidades isoladas, por meio de WiFi Hotspots de acesso à Internet de baixo custo, além de explorar os mercados residencial, empresarial e de aviação”. 

A Telebras sustenta o acordo nos termos da Lei das Estatais (13.303/16), que dispensa a exigência de licitação “nos casos em que a escolha do parceiro esteja associada a suas características particulares, vinculada a oportunidades de negócio definidas e específicas, justificada a inviabilidade de procedimento competitivo”. A mesma lei, em seu artigo 29, diz ser dispensável a realização de licitação “quando não acudirem interessados à licitação anterior”. 

Os termos do contrato com a Viasat não foram divulgados. Mas a estatal informa que “a parceria foi estruturada em um modelo de compartilhamento de receita, no qual a Telebras espera gerar mais de R$ 3,3 bilhões em receitas para a empresa nos próximos anos”.


Governo anuncia lançamento de cabo submarino entre Brasil e Europa

O cabo ligará Fortaleza a Sines, em Portugal, anunciou o ministro das Comunicações, Fabio Faria. A obra será feita pela EllaLink, que promete uma estrutura capaz de proporcionar um tráfego de dados a 72 Terabits por segundo (Tbps) e latência de 60 milissegundos. Serão lançados 6 mil quilômetros de cabos submarinos.

Em um Brasil desigual, governo digital tem de servir para todos

Como destaca o professor Silvio Meira, no Brasil onde a desigualdade aumenta, “a gente vai ter que ser muito competente para desenhar serviços que possam ser usados realmente por todo mundo e não só por quem tem acesso à conectividade".

Treze anos depois, Congresso aprova uso do Fust para inclusão digital

Texto permite uso dos recursos, cerca de R$ 1 bilhão por ano, por serviços no regime privado, como a oferta de banda larga. Mas como ressaltado na votação, como não é impositivo, haverá conflito com a PEC dos Fundos. 

Brasil tem desempenho pífio em ranking global de educação digital em cibersegurança

Levantamento mostra o País em 42º entre 50 pesquisados e avalia nível de conhecimento atual sobre risco cibernético e a relevância das iniciativas para promover educação e treinamento. 

Apenas 16% dos empregados em teletrabalho tiveram Internet paga pelos patrões

Nova pesquisa TIC Covid, do Cetic.br, reforça que a alternativa do home office se deu predominantemente entre os mais ricos e escolarizado. Apenas 20% dos patrões ofereceram aplicações de segurança.

Desigualdade econômica acentua exclusão digital do campo no Brasil

Estudo mostra que na região, 77 milhões de pessoas não tem acesso à internet. No Brasil, que puxa os índices agregados para cima, diferença é gritante entre grandes e pequenas propriedades. Levantamento mostra que 244 milhões de pessoas na AL não têm acesso à Internet.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G