Home - Convergência Digital

MP que proíbe desconto em folha da contribuição sindical perde validade

Convergência Digital - Carreira
Convergêcia Digital* - 28/06/2019

Deixa de valer nesta sexta-feira, 28/6, a Medida Provisória 873/19, que proibia o desconto da contribuição facultativa ao sindicato na folha salarial com autorização do trabalhador. Segundo a MP, a contribuição sindical seria paga por meio de boleto bancário, após autorização expressa, individual e por escrito do trabalhador. Para que o assunto seja tratado novamente pelo Congresso, somente poderá ser tratado por meio de projeto de lei.

A MP altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT – Decreto-lei 5.452/43) e o Estatuto do Servidor Público (Lei 8.112/90). Pelo texto, o pagamento poderia ser feito somente por meio de boleto bancário ou o equivalente eletrônico, enviado obrigatoriamente à residência do empregado ou, na impossibilidade de recebimento, para a sede da empresa. Caso o trabalhador não tenha autorizado o desconto, o envio do boleto seria proibido.

O texto também tornava nula a obrigação de recolhimento da contribuição sem a autorização do trabalhador, mesmo que referendada por negociação coletiva ou assembleia geral, além de especificar que qualquer outra taxa instituída pelo sindicato, ainda que prevista no estatuto da entidade ou em negociação coletiva, somente poderia ser exigida de quem fosse efetivamente filiado.

Paralelamente, a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 75/19, que susta o decreto presidencial que revogou dispositivos que regulam o desconto da contribuição a sindicatos e associações de representação profissional na folha de pagamento.

O relator, deputado André Figueiredo (PDT-CE), recomendou a aprovação. “A discricionariedade reservada à administração não autoriza, de forma alguma, a perseguição a entidades sindicais ou representativas de categorias funcionais”, afirmou o parlamentar. O Decreto 9.735/19 foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e revoga dispositivos de outro decreto (8.690/16), que trata da gestão das consignações em folha de pagamento.

O decreto é um complemento à Medida Provisória 873/19, que acabou com o desconto da contribuição sindical na folha de pagamento, ainda que decidido em norma coletiva, assembleia geral ou em estatuto da categoria profissional. E que, como visto, perde a validade nesta sexta-feira. A proposta de Decreto Legislativo ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois seguirá para o Plenário.

* Com informações da Agência Câmara

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/08/2019
Texto-base da MP da Liberdade Econômica muda relação trabalhista

13/08/2019
TST valida cláusula que prevê homologação de demissão por sindicato

22/07/2019
Ação anterior à Reforma Trabalhista não deve sucumbência

17/07/2019
Brasscom vai à Justiça por entendimento unificado sobre desconto em folha

11/07/2019
STF suspende decisão que permitia desconto sindical em folha

28/06/2019
MP que proíbe desconto em folha da contribuição sindical perde validade

05/06/2019
Jornada de 12 por 36 horas só vai valer para TICs se estiver na Convenção Coletiva de Trabalho

28/05/2019
Liminar do STF suspende decisão que autorizava desconto sindical em folha

15/05/2019
Regra do boleto para contribuição sindical é inconstitucional

11/04/2019
Sindicato vai à OIT contra MP que tira desconto de contribuição em folha

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site