Clicky

Convergência Digital - Home

Covid-19 ajuda e-mail na nuvem a desbancar e-mail tradicional

Convergência Digital
Convergência Digital - 17/11/2020

A Unodata, fornecedora de soluções corporativas de mensageria, colaboração, segurança anti spam e backup em nuvem, registrou aumento de 40% em suas receitas no período de isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19, que impulsionou a adoção do trabalho remoto nas empresas. Usuárias do e-mail tradicional instalado nos computadores, muitas empresas foram obrigadas a mudar este serviço para computação em nuvem para garantir o acesso online aos colaboradores a partir de seus notebooks e dispositivos móveis no home office.

A Unodata é Zimbra Business Partner no Brasil e oferece serviços compartilhados de e-mail, contatos, agenda, criação e armazenamento de documentos, e que apresenta como alternativa de custo-benefício às tradicionais plataformas de escritório proprietárias. Segundo Eder Miranda, diretor da Unodata, as empresas dependem do e-mail para realizar seus negócios e manter a sua operação e, de uma hora para outra, tiveram que adotar o trabalho remoto.

Com isso, tiveram que disponibilizar aos funcionários destacados para o home office os recursos tecnológicos para que pudessem realizar as suas tarefas. "Grande parte das empresas possui este serviço instalado em computadores e a migração para a computação em nuvem foi a solução encontrada. Registramos um aumento em torno de 40% no número de usuários neste período", afirma o executivo.

A Unodata já vinha registrando crescimento nos últimos anos impulsionado pela movimentação das empresas rumo à nuvem, motivadas pelo aumento da digitalização dos seus processos de negócios. "A pandemia veio acelerar essa mudança nas empresas, mesmo que sem planejamento e de modo emergencial. Antes da quarentena a nossa projeção era de crescimento em torno de 15% este ano e agora projetamos 40%. Passamos de 160 para 220 clientes e de 5 mil para 8 mil usuários atendidos. Neste caso o aumento foi de 60%", adiciona Miranda.

A segurança dos dados e a mobilidade empresarial também foram citadas pelo diretor da Unodata como um dos fatores que pesaram na decisão das empresas para escolha da plataforma Zimbra. "A quarentena obrigou as companhias a uma mudança que vinha sendo feita aos poucos da pandemia, porque sistemas instalados em computadores não evoluem na velocidade das novas tecnologias em cloud e mobile, nem oferecem a segurança necessária para a proteção dos dados. No caso do Zimbra, a solução é acompanhada de anti spam, recursos de autenticação em dois fatores, criptografia e comunicação via protocolo TLS e HTTPS", finaliza Eder Miranda.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Empresa monta o seu segundo data center no Brasil, em local não revelado por segurança, e diz que vai também aumentar presença na oferta de Kubernetes e contêineres, hoje dominada pela Red Hat, da IBM.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site