INOVAÇÃO

Vivo reduz em 36% suas emissões de CO2

Da redação ... 03/06/2019 ... Convergência Digital


A Telefônica, com a marca Vivo no Brasil, vê na redução de emissões dos gases causadores do efeito estufa seu principal desafio relacionado aos temas ambientais para 2019. A meta está entre os objetivos globais de mudanças climáticas da Telefônica, voltados à diminuição de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), que incluem a redução de 50% do consumo de energia por unidade de tráfego e de 30% em emissões diretas e indiretas em termos absolutos até 2020. De acordo com o Relatório de Sustentabilidade da empresa, recém-publicado, a Vivo diminuiu em 36% suas emissões absolutas diretas e indiretas e  em 47% as emissões por unidade de tráfego em 2018, indo de 13,4 para 7,1 toneladas de CO2e  .

Ainda segundo o relatório, a empresa cumpriu 93,7% dos indicadores definidos em seu Plano de Negócios Responsáveis em 2018, com destaque para a aquisição de energia renovável, iniciativa que contribui diretamente para a redução de emissões no Brasil. Desde outubro de 2018, 100% do consumo de energia da Vivo passou a ser proveniente de fontes renováveis, a partir da contratação de energia incentivada com atributo renovável no mercado livre, além de energia gerada por pequenas centrais hidrelétricas sob contratos de geração distribuída e da aquisição de garantias de origem renovável para o restante do consumo. No acumulado de 2018, 44% da energia consumida pela Vivo foi renovável. A iniciativa influencia de modo direto na redução de emissões de CO2e, que deve ser 70% menor este ano.

Para a diminuição das emissões diretas, a empresa mantém iniciativas como a frota sustentável, que com  a substituição de gasolina para etanol em um frota de aproximadamente 3 mil carros em São Paulo. A Vivo também implantou uma normativa para redução de emissões de gases refrigerantes usados em ar condicionados e combustíveis usados em geradores com a Instrução de Compras de Baixo Carbono, proibindo a compra de equipamentos de gases com alto potencial de aquecimento global e incentivando o uso de equipamentos elétricos mais eficientes.



BC: Pagamento pelo WhatsApp terá de provar proteção aos dados

"Um arranjo que começa com 120 milhões de clientes não é pequeno", explicou Roberto Campos Neto.

Empresas nacionais reclamam da burocracia e deixam de investir em Inovação

Em pesquisa do Instituto Eldorado, empresas alegam que os instrumentos de fomento são burocráticos ou desconhecidos. Mais da metade das companhias ouvidas assumem que estão investindo menos em novas tecnologias.

Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

Em nota, associação nacional do setor indica “preocupação” com a medida. “Liquidação distanciará ainda mais o Brasil do conhecimento de ponta.”

OBr.Global promove bootcamps Live sobre empreendedorismo

Aceleradora, especializada em internacionalização das empresas, ensinará técnicas adotadas no Vale do Silício, nos EUA.

Política de informática foi feita para o hardware, mas deu certo com o software

Para Sílvio Meira, a estratégia que o Brasil quer desenhar para Inteligência Artificial precisa desafiar à produção nacional para trazer os resultados pretendidos.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G