INTERNET

Abratel pede regulamentação da oferta de audiovisual via internet

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/02/2020 ... Convergência Digital

A Abratel, entidade que representa emissoras de rádio e TV como Record e RedeTV, apresentou nesta segunda, 17/2, um pedido para que a Anatel apresente posicionamento sobre a regulamentação do Serviço de Valor Adicionado, no entendimento de que é preciso regulamentar a atividade de oferta de conteúdo linear pela internet. 

“É necessário estabelecer normas capazes de assegurar maior simetria regulatória ante o atual contexto tecnológico, preservando o conteúdo propagado pelas emissoras do serviço de radiodifusão de sons e imagens, adaptando-a à realidade tecnológica atual. [A] disponibilização de canais lineares por streaming se iguala em tudo ao que é oferecido pelas prestadoras do Serviço de Acesso Condicionado, contudo, enquanto as segundas têm que cumprir obrigações previstas na Lei no 12.485/2011, as empresas de internet não teriam nenhuma das obrigações previstas na citada lei”, alega a Abratel.

Segundo a entidade, a agência deve negar o pleito da Fox, que disparou uma discussão sobre o tema na Anatel e no Congresso Nacional. Provocada pela Claro, a Anatel baixou uma cautelar proibindo a oferta de canais lineares no pacote Fox+, mas a empresa conseguiu uma liminar na Justiça que a permite manter a oferta do serviço via assinatura. 

A posição da Anatel é de que a oferta, embora pela internet, deve se dar nos moldes da Lei da TV paga, a Lei 12.485/11, mencionada pela Abratel. E o que a entidade defende é que o órgão regulador instrumentalize a discussão aberta no Congresso Nacional, na qual existe a possibilidade de manter a internet de fora das obrigações que devem ser cumpridas pelas operadoras tradicionais de TV por assinatura – como as cotas de programação nacional. 

“É essencial uma análise sobre as garantias constitucionais e os encargos a serem obedecidos pelas empresas envolvidas, e a realização de estudo de impacto regulatório técnico e econômico sobre os efeitos que essa disponibilização pelo SVA poderá ocasionar nos serviços já consolidados e ofertados à população”, diz o pedido da Abratel. Para a associação “embora sejam ofertados por tecnologias distintas, os serviços são semelhantes”. 

E conclui que “o acatamento das razões da Fox, pura e simplesmente como se coloca, além de um grande desarranjo regulatório entre as empresas de telecomunicações e as empresas de internet, traria condições totalmente não isonômicas para o mesmo serviço”. 


Coronavírus: Justiça do Recife celebra casamento por videochamada na Internet

Cerimônia foi realizada por uma chamada de vídeo por celular do juiz da 1ª Vara de Família e Registro Civil da Capital do Recife, Clicério Bezerra.

Demonizar a Internet não resolve a falta de educação

O Brasil precisa de mais diálogo e educação na Internet e entender que a rede é um meio. "A falta de civilidade digital é um retrato da nossa sociedade", afirma Caio Almeida, da Safernet.

Internet no Brasil está longe de ser um ambiente saudável

"Está faltando senso crítico ao internauta", adverte o ciberevangelista Anchises Morais. Ele adverte que os cibercrimosos avançam sobre o medo do Coronavírus.

No Brasil, ainda há quem pense que a Internet é uma terra sem lei

A afirmação é da advogada especializada em direito digital, Cristina Sleiman. Segundo ela, qualquer ato na Internet tem uma consequência e é passível de punição.

TJSC condena Facebook a indenizar em R$ 5 mil por postagens ofensivas

“Empresa tinha o dever legal de exibir as informações de IP e log de acessos solicitadas”, diz a decisão. 

Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G