Home - Convergência Digital

TIM e Vivo mudam pacotes para impedir troca de chips no exterior

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 12/07/2019

Para evitar a troca de chips nas viagens dos brasileiros no exterior - por conta do alto custo do consumo de Internet e voz - as operadoras móveis estão revendo os seus portfólios. Os clientes da TIM, agora, por exemplo, vão poder contratar pacotes semanais de WhatsApp ou Instagram ilimitados. Quem ainda quiser navegar na internet poderá escolher entre franquias de dados diárias, semanais ou mensais. Já aqueles que preferem ligar pagam apenas os minutos que usarem, de forma muito mais simples.

Quem também mudou - mas apenas para as férias de julho foi a Vivo. Durante todo este mês, os titulares de planos pós-pago Vivo Família terão Diárias Vivo Travel ilimitadas para usar o celular fora do Brasil. “Em 2018, o uso de internet no exterior por nossos clientes mais que dobrou em comparação ao ano anterior, porque sabemos que uma viagem fica ainda mais especial se podemos compartilhar momentos e experiências com quem ficou em casa, ou se podemos buscar informações em tempo real para chegar a um ponto turístico. Por isso, decidimos fazer essa promoção”, afirma Dante Compagno, diretor de marketing da Vivo.

A Diária Vivo Travel é composta de uma franquia de internet diária que varia conforme o destino – por exemplo, nos Estados Unidos, na Argentina e no Chile são 1GB/dia; já na Espanha e na Alemanha são 500MB/dia. Além disso, inclui 50 minutos por dia em ligações para o país visitado ou para o Brasil, recebimento à vontade de ligações no exterior e SMS à vontade para qualquer operadora do mundo.

No caso da TIM Brasil, as novas ofertas são válidas para clientes de todos os planos pós-pagos com pagamento em fatura, inclusive usuários de planos corporativos¹. O pacote de roaming internacional exclusivo do TIM Black Família – com sete dias de WhatsApp ilimitado e 30 minutos em chamadas grátis todos os meses para qualquer lugar do mundo – agora também é válido para clientes dos planos pós-pagos TIM Black D e E e Da Vinci. A ativação e o controle do consumo têm interface simples, por meio de um portal no próprio celular, garantindo a melhor experiência de uso.

"O cliente da TIM não vai mais pesquisar novas oferta para trocar de chip quando estiver fora do Brasil. Analisamos o comportamento da nossa base durante viagens internacionais para lançar um novo portfólio que atenda a diferentes necessidades. Temos pacotes só com os apps mais usados e internet por dia, semana ou mês, entregando opções para todos os bolsos. E como as chamadas são cada vez menos utilizadas, decidimos voltar com a tarifação por minuto. Assim, o cliente economiza porque só paga pelo tempo que falar, não precisa ativar um pacote diário de voz. Para completar, a gestão das ofertas é 100% digital, trazendo ainda mais facilidade e conveniência para os usuários", explica Renato Ciuchini, Head de Marketing Consumer da TIM Brasil.

Quando o cliente chegar ao seu país de destino, ele receberá um SMS de boas-vindas, com um link para o portal de roaming internacional. Na página, ele escolhe o pacote que deseja contratar e já começa a navegar imediatamente. Os preços variam de acordo com o destino da viagem do cliente. A oferta de WhatsApp ilimitado inclui ligações de voz e vídeo pelo aplicativo, além de troca de mensagens de texto e áudio, fotos e vídeos. Já o pacote de Instagram possibilita ao cliente postar fotos, vídeos, fazer Stories e utilizar o direct à vontade. Cada uma das opções custa R$ 39,90 por semana para viagens aos EUA e R$ 49,90 para América do Sul ou Europa, por exemplo.

Quem quiser contratar um pacote de dados pode escolher entre as opções de 500MB por dia com preços a partir de R$ 29,90²; 3GB ou 5GB por semana a partir de R$ 149,50²; ou 8GB por mês, a partir de R$ 448,50². As ligações custarão R$ 1,99 por minuto nos Estados Unidos e Canadá, R$ 2,49 por minuto em outros países da América e na Europa e R$ 2,99 em alguns países da África, Ásia e Oceania, como África do Sul, Japão, China, Austrália e Nova Zelândia. Clientes de planos corporativos podem contratar pacotes mensais de voz de 60, 180 ou 500 minutos, a partir de R$ 51,90/mês.

Os clientes dos planos com roaming internacional incluído não precisam realizar qualquer ativação para realizar ligações. Para usar o WhatsApp, se estiverem no exterior, é só entrar no portal e selecionar a oferta inclusa no plano TIM Black ou ligar para o atendimento TIM enquanto estiver no Brasil antes da viagem. No corporativo, o administrador é quem precisa fazer a contratação dos pacotes previamente via *144.

*Com informações das Assessorias da TIM e da Vivo

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/10/2019
Com queixas da indústria, avança PL que exige rádio em 100% dos celulares

02/10/2019
STJ anula condenação com prova obtida por PM que atendeu celular de suspeito

20/08/2019
Google cancela serviço que identifica pontos fracos na rede celular

09/08/2019
Apple promete US$ 1 milhão para quem detectar falhas no iPhone

06/08/2019
Nextel ameaça parar de funcionar se negócio com a Claro não for aprovado

06/08/2019
Teles questionam no STF lei que permite acúmulo de franquia não usada

05/08/2019
Pré-pago perde 1,13 milhão de linhas em 30 dias. 4G é o carro-chefe do pós-pago

30/07/2019
Cadastramento de dados dos clientes pré-pago avança para 10 estados

30/07/2019
Tencent e Qualcomm negociam chips para jogos em 5G

12/07/2019
TIM e Vivo mudam pacotes para impedir troca de chips no exterior

Destaques
Destaques

5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Até lá, a tecnologia LTE segue com um crescimento considerável. Em junho foram 4,7 bilhões de conexões, ou 53% de todas as conexões celulares no mundo, revela a 5G Americas.

TVs defendem migração da banda C para Ku e calculam custo em R$ 2,9 bilhões

Abratel, que representa Record e Rede TV!, apresentou formalmente à Anatel uma proposta de migração das transmissões como forma de evitar a interferência do uso da faixa de 2,5 GHz nas antenas parabólicas.  

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site