GESTÃO

Chatbots geram 1 bilhão de mensagens por mês. São Paulo concentra o mercado

Convergência Digital* ... 21/08/2019 ... Convergência Digital

A produção de chatbots e voice bots está se massificando no Brasil, segundo levantamento realizado pelo Mobile Time para a nova edição do Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots 2019, que apurou o aumento de 26% na quantidade de desenvolvedores de bots que atuam no Brasil e que responderam a esta pesquisa, passando de 66 para 83 empresas.

O estudo também apurou que a diversificação por parte de alguns players de menor porte, que procuram se especializar em nichos especificos de bots, é adotada como estratégia diferenciação e sobrevivência neste novo mercado. O resultado desta movimentação é o crescimento do volume de mensagens geradas em conversas por meio de chatbots no País, passando de 800 milhões para cerca de 1 bilhão, o que representa uma evolução de 25% no período.

De acordo com o novo Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots, a maioria das empresas que respondeu ao relatório estão concentradas no estado de São Paulo, onde há 53 desenvolvedores, sendo 65% do total mapeado. O Rio de Janeiro está na segunda posição, com 9 desenvolvedores; seguido por Santa Catarina, com cinco, e Minas Gerais e Rio Grande do Sul, com 4 cada. Entre os entrevistados, 65% trabalha com chatbots de texto e voz, enquanto 31% somente com texto e 4% somente com voz.

Atendimento ao cliente é a principal finalidade dos chatbots

Quase a totalidade dos chatbots produzidos no Brasil, de acordo com o Mapa, tem como finalidade mais comum o atendimento a clientes por meio de robôs de conversação. Entre os desenvolvedores, 95% afirmam criar robôs com esta finalidade, enquanto que outros 76% fazem bots de vendas, o que representa a segunda finalidade mais popular entre os produtores de robôs de conversação no Brasil.

WhatsApp avança na integração com chatbots. Facebook Messenger lidera.

Em agosto do ano passado, o WhatsApp anunciava a abertura oficial da sua API para o mercado corporativo, o que movimentou vários desenvolvedores de chatbots e participar da iniciativa e a oferecer os seus serviços de integração com a rede social baseada no serviço de mensageria. Em um ano, o impacto sobre o mercado de bots foi significativo e pode ser percebido nesta nova edição do Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots, onde 75% dos desenvolvedores declaram que já produziram bots para WhatsApp. O canal fica atrás apenas do Facebook Messenger (86%) e de sites na web (84%).

"Cabe ressaltar que existem bots para sites na web há décadas e que o Facebook Messenger abriu sua API para bots em 2016. No entanto, o crescimento do WhatsApp nesta área é significativa", comenta Fernando Paiva, editor do Mobile Time e coordenador da pesquisa. "O WhatsApp já foi experimentado por praticamente três em cada quatro desenvolvedores de bots, e o interesse dos desenvolvedores é resultado da elevada demanda das empresas em vários mercados por usar o WhatsApp como canal de comunicação", acrescenta Paiva.

"Também constatamos uma tendência de crescimento no uso de bots de voz, especialmente por telefone ou através de assistentes de voz (Google Assistente, Siri, Alexa etc). Esperamos o anúncio de várias novidades até o final deste ano", prevê Fernando Paiva. "É uma movimentação muito forte do mercado em geral, que se alia às novas tecnologias para melhorar seus processos de negócios e gestão empresarial, No caso dos chatbots, o objetivo das empresas que apostam neste recursos é diminuir o tempo de atendimento, elevar a satisfação do usuário, reduzir custos com call center e, certamente, poder vender mais e de maneira mais eficiente". O relatório pode ser baixado gratuitamente em http://panoramamobiletime.com.br/mapa-do-ecossistema-brasileiro-de-bots-2019/


Carreira
PGR questiona terceirização no STF contra efeitos no governo

Ao alegar que decisão do Supremo sobre o assunto tem "trechos obscuros", Procuradoria Geral da República aponta que "em nenhum momento [o STF] tratou atenta e especificamente da terceirização no âmbito da Administração Pública".

Britânia adere à inteligência artificial na gestão e nos produtos

"A nossa ideia é ter pessoas qualificadas pensando em produtos melhores e não em funções repetitivas", diz a gerente de Marketing, E-commerce e parcerias da indústria, Samanta Puglia. A executiva admitiu que essa guinada já trouxe dores, entre elas, a mudança do quadro de pessoal.

Paraná adota Inteligência Artificial em serviços ao cidadão

Os serviços desenvolvidos pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar)são as ferramentas eleitas pelo Governo do Estado para ampliar a digitalização dos serviços, revela André Telles, assessor especial de Gestão Inteligente e Inovação.

Chatbots geram 1 bilhão de mensagens por mês. São Paulo concentra o mercado

O volume de mensagens por meio de chatbots cresceu 25%, enquanto o número de empresas no setor teve elevação de 24%. Facebook Messenger lidera, mas WhatsApp avança como canal preferido.

Plataforma consumidor.gov.br atinge a marca de 2 milhões de registros

No ano passado, o índice médio de solução de conflito foi de 81%.  Projeto completa cinco anos e envolve a Secretarian Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça e o Tribunal de Justiça de São Paulo.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G