Home - Convergência Digital

Edge computing é base para aplicações 5G

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 10/10/2019

Edge computing é crucial para as novas aplicações para as redes 5G. Esta é uma das conclusões do relatório '5G at the Edge', publicado pela 5G Americas, para tratar da evolução da nova geração de telefonia móvel. A Edge Computing é um conceito de descentralização que envolve a localização de aplicativos e sua infraestrutura geral de computação, armazenamento e as funções associadas de comutação e controle em locais mais próximos do usuário final e/ou terminal de IoT.

O relatório da 5G Americas analisa o papel da Edge Computing na evolução da arquitetura 5G, a aplicação de padrões nativos da computação em nuvem como redes definidas por software (SNDs) e virtualização de funções de rede (NFV), e identifica várias metodologias adotadas para aplicações 5G. O relatório aborda novos casos de uso e descreve as exigências necessárias para viabilizar as capacidades avançadas de mobilidade, computação e armazenamento em novas redes sem fio 5G.

O relatório também apresenta uma visão das várias iniciativas open source e setoriais que existem para definir as novas arquiteturas EDGE. Além disso, o documento define a arquitetura de referência para a próxima geração Edge e analisa as possibilidades futuras para redes. "Estamos criando uma nova arquitetura baseada em tecnologias centradas em dados, como análises, redes e armazenamento para sistemas 5G, que operam com a Edge Computing, que terá um grande impacto sobre a operação de redes sem fio no futuro", disse Rao Yallapragada, Diretor de Tecnologias Avançadas da Intel, e um dos líderes do grupo de trabalho que produziu o relatório.

As principais conclusões do relatório são:

A Edge Computing é fundamental para as novas aplicações desenvolvidos para redes 5G, como a realidade virtual e aumentada em eventos, análises de vídeo e fala, monitoramento remoto para videosegurança, entre outros, que exigem menos latência para operar em tempo real.

A Edge Computing pode viabilizar aplicações de realidade aumentada. A tecnologia também cria oportunidades para análises de vídeo e fala. Ela acelera a Internet aprimorando a gestão de conteúdo local. Com a Edge Computing, as redes 5G conseguem levar saúde, segurança e produção industrial para locais remotos através de comunicações ultraconfiáveis de baixa latência.
   
A 5G incorpora a Edge Computing em redes sem fio ao lado de novas iniciativas e padrões de código aberto para administrar dados na rede inteira, desde acesso via rádio, transporte, até no core - criando novos e poderosos recursos como o fatiamento de rede.
   
A Edge Computing usa tecnologias inovadoras de inteligência artificial e aprendizagem de máquina para aprimorar a gestão de dados em rede.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

11/11/2019
5G exige políticas públicas e apoio do Governo

11/11/2019
Satélites vão ter papel central no ecossistema do 5G

11/11/2019
Redes privadas no 5G impulsionam o crescimento econômico do País

08/11/2019
Teles não podem repetir 4G e serem engolidas pelas OTTs no 5G

08/11/2019
Ericsson: 72% dos decisores querem 5G em 2020 no Brasil

07/11/2019
Anatel adia e edital do 5G tende a ficar para 2020

07/11/2019
5G já trouxe aumento de receitas para as operadoras

07/11/2019
TelComp: 5G terá novos atores no ecossistema de Telecomunicações

07/11/2019
Para Qualcomm, blocos pequenos no leilão 5G preocupam

06/11/2019
Lacunas de infraestrutura no caminho do 5G no Brasil

Destaques
Destaques

5G exige políticas públicas e apoio do Governo

Como ressalta o diretor de relações governamentais da Huawei, Carlos Lauria, investimentos pesados em infraestrutura de redes envolvem políticas públicas em qualquer país. 

5G já trouxe aumento de receitas para as operadoras

“Na Coreia, são 3,5 milhões de clientes em seis meses, 1 milhão com serviços de valor adicionado. Em apenas um trimestre as operadoras aumentaram as receitas em 2%”, afirma o diretor de soluções da Huawei, Carlos Roseiro. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site