Home - Convergência Digital

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

Ana Paula Lobo - 23/06/2020

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais - internet e mobile banking - foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, um mês após o início da quarentena e das medidas de isolamento social para combate ao Covid-19 em grande parte do país.

O resultado representou um aumento de 10 pontos percentuais em relação a janeiro e foi impulsionado pelo uso intenso dos smartphones. Os celulares, sozinhos, representaram 67% das transações analisadas em abril. "O mobile banking registrou um crescimento de 41% em transações financeiras, o que é um marco", diz Sergio Biagini, da Deloitte, responsável pelo estudo.

No recorte feito especialmente para retratar as transações nos quatro primeiros meses do ano e divulgadas nesta terça-feira 23/06, no CIAB Febraban 2020, foram consideradas as seguintes operações: saldos, transferências, contratação de crédito, consulta de investimentos, depósitos, pagamentos de contas, saques e recarga de celular.

De acordo com a pesquisa, entre janeiro e abril, o volume de transações feitas por pessoas físicas nos canais digitais cresceu 19%. Somente no mobile banking, a alta foi de 22%, sendo que as movimentações financeiras no canal móvel cresceram 41%. A consulta de investimentos teve alta de 105%; contratação de crédito (+61%); pagamentos (+33%) e transferências (+24%). O levantamento também revelou que, no mesmo período, as operações bancárias caíram 53% nas agências. Nos ATMs, a queda foi de 19%.

O recorte também revela que nos primeiros quatro meses do ano, as interações dos clientes com os seus bancos por meio de chatbots registraram um crescimento de 78% e a quantidade de atendimentos nos contact centers cresceu quase 7 milhões no período - passando de 123,2 milhões para 130 milhões.

A pesquisa também aponta que 72% dos novos investimentos em tecnologia  - em 2019 foram feitos R$ 16 bilhões- foram dedicados para a Inteligência Artificial, sendo que 50% dos recursos foram para atendimento ao cliente e 35% para a área de segurança e biometria. O Blockchain ficou com 35% e a maior novidade foi o surgimento da Internet das Coisas, com 20% dos aportes.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

01/10/2020
Covid-19: maioria teme o uso dos dados pessoais nos serviços públicos online

28/09/2020
SD-WAN ganha musculatura com a Covid-19 na América Latina

25/09/2020
Governo diz ter economizado R$ 1 bilhão com teletrabalho

23/09/2020
Mobile World Congresso 2021 é adiado de fevereiro para junho

23/09/2020
Dos 10% em teletrabalho no Brasil, maioria é branca, tem diploma e maior renda

21/09/2020
Covid-19 aumentou 16% os cancelamentos e em 10% a inadimplência em telecom

18/09/2020
Paul Krugman: crise econômica está longe de passar no mundo

18/09/2020
Bradesco: Empresas entenderam na dor as mudanças impostas pela Covid-19

17/09/2020
Natura: sistemas na nuvem foram aliados para enfrentar a Covid-19

16/09/2020
Claro e TIM, por R$ 3 milhões/mês, fornecem internet para 540 mil no Distrito Federal

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site