Clicky

Home - Convergência Digital

Leilão de 26 GHz terá disputa no Brasil

Ana Paula Lobo - 15/04/2021

O leilão da faixa de 26 GHz no Brasil terá disputa tanto pelas operadoras móveis como pelas operadoras fixas, acreditam o VP de Relações Governamentais da Qualcomm, Francisco Soares, e o diretor da Nokia Argentina, Guillermo Wichmann. Para eles, órgãos reguladores de países como o da Colômbia, que quer primeiro licitar 3,5GHz para depois fazer o certame de 26 GHz, erram ao adotar essa estratégia. Soares e Wichmann participaram nesta quinta-feira, 15/04, do evento 5G mmWave, organizado pela Network Eventos, em parceria com o Convergência Digital.

"Ondas milimétricas são estratégicas para o 5G. No Chile, que foi o único que já fez a licitação na região, a Claro comprou apenas a faixa de 26GHz. Ela é importante para áreas densamente povoadas e completa o 5G em outras faixas", observou Soares, da Qualcomm. Para Guillermo Wichmann, da Nokia, as ondas milimétricas têm papel central em soluções como cobertura de estádios de futebol, de ventos corporativos e esportivos, universidades e complexos industriais. "São relevantes e no mundo tem se visto que a faixa de 26GHz é mais barata do que a de 3,5GHz", observa.

Qualcomm e Nokia admitem que para as operadoras móveis, o investimento realmente é maior uma vez que exigirá ERBs mais próximas, mas ainda assim justifica-se o investimento para as grandes cidades, densamente povoadas, além da oferta de banda larga fixa móvel, com as CPEs, que têm um raio de até 7 quilometros.

No Brasil, ainda não saíram as regras para o uso da faixa de 26GHz, e a Anatel promete fazê-lo em breve, como disse o Superintende de Outorgas e Recursos à Prestação da agência reguladora, Vinicius Caram. Mas Soares, da Qualcomm, lembra que uma das expectativas é que a faixa não tenha compromissos de cobertura, mas, sim, de implementação da rede. No Brasil, um ponto relevante para o uso da faixa: ela está limpa e poderá ser ocupada tão logo se monte a infraestrutura.

Tanto a Qualcomm como a Nokia admitem que faltam dispositivos ainda, mas diz que já há terminais surgindo adaptados à faixa de 26GHz, inclusive, maquinários industriais. " A demanda existe e existirá. Temos o uso da faixa de 26GHz na Europa. Os dispositivos em 28GHz estão mais adiantados por quanto dos EUA. Mas a indústria já se mobilizou e terá os dispositivos, conforme a demanda cresça. E temos muito por avançar na América Latina", completou Francisco Soares, da Qualcomm.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/05/2021
Algar avança no B2B; avalia 5G fora da sua área e se prepara para ser 100% fibra ótica

13/05/2021
Um em cada cinco usuários do 5G reduz o uso do Wi-Fi nos ambientes fechados

12/05/2021
Ericsson decide pagar 80 milhões de euros à Nokia para indenizar danos

11/05/2021
TIM e Nokia lançam projeto piloto de 5G Standalone no agronegócio

11/05/2021
Telefonica se alia à Microsoft por 5G privado

10/05/2021
TecBan, Claro e Ericsson levam 5G para caixas eletrônicos

06/05/2021
Para Minicom, 90% das antenas do 5G são isentas de licença

05/05/2021
TIM: 5G ‘puro’ é mais barato e rivais reclamam porque não fizeram VoLTE no 4G

05/05/2021
Huawei:5G exige empresas locais para aplicações e geração de talentos

05/05/2021
Um poço sem fundos no leilão 5G

Destaques
Destaques

América Latina se divide sobre uso de ondas milimétricas

Debate com representantes do México, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Argentina e Brasil mostrou que bandas altas no 5G, como 26 GHz, está longe de unanimidade na região.  Colômbia, que prevê leilão 5G no final do ano, não planeja vender a faixa de 26GHz.

Brasil está fora dos países liberados pela Espanha para o Mobile World Congress

Programado para acontecer de 28 de junho a 01 de julho, o organizador, GSMA, fechou um acerto com as autoridades espanholas para isentar os participantes das restrições impostas às pessoas de fora da União Europeia.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

5G e a expansão da capacidade de inovação

Por Alex Takaoka*

Segurança da informação, interoperabilidade e infraestrutura ocuparão um papel importante na implantação da tecnologia 5G.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site