TELECOM

Vogel Telecom entra na disputa pelo mercado de atacado e redes neutras

Por Roberta Prescott e Rafael Mariano ... 18/11/2019 ... Convergência Digital

Fundada em 2014 tendo como acionista controlador o Patria, a Vogel Telecom nasceu com a visão de atender ao mercado de atacado, já tem uma rede de 24 mil quilômetros e vê uma demanda é cada vez maior por dados. "Vemos muitas oportunidades de crescimento, seja organicamente no negócio de B2B no atacado, seja nos novos modelos de redes neutras", afirmou Daniel Cardoso, COO da empresa.

 A rede da companhia foi herdada das quatro aquisições da Vogel. Tem cobertura nacional, mas com presença maior nas regiões Sudeste e Sul. "Tão importante quanto o backbone e a capilaridade é a rede que conecta os principais datacenters do Brasil", disse Cardoso, acrescentando que a prioridade é garantir que a infraestrutura existente continue evoluindo e atendendo às necessidades dos clientes. 

Conforme explicou, a visão estratégica da operadora tem como pano de fundo a ideia de que o aumento de tráfego de internet seguirá crescendo. "A digitalização é uma tendência inescapável", destacou o executivo ao participar do XII Seminário Telcomp, realizado na última terça-feira 12/11, em São Paulo.  A construção da empresa teve como base a visão de que o aumento da demanda por dados, seja fixo ou móvel, impacta diretamente na necessidade por infraestruturas.

"Em um país do tamanho do Brasil ninguém consegue construir as redes necessárias sozinho. Vemos uma oportunidade de mercado de ajudar a construção de infraestrutura para atender à demanda dos clientes finais e também dos participantes da indústria, como outras operadoras grandes e pequenas, através de um modelo de redes neutras e compartilhadas.Eeste ano foi o ano da criação desta visão e de criar uma plataforma que agora nos permite olhar para o mercado e crescer, atendendo aos nossos clientes", detalhou o executivo.

Questionado sobre a possibilidade de a Vogel fazer aquisições, Cardoso disse que o crescimento inorgânico é importante dentro da estratégia da companhia, principalmente, para evitar se de construir redes sobrepostas. "Se tem ativos na geografia, eu prefiro trazê-los para dentro de casa, obviamente, no preço correto, do que ter de construir uma nova rede. O crescimento inorgânico faz sentido e estamos sempre olhando", afirmou. Outro ponto que deve nortear o crescimento da Vogel é a implantação das redes de quinta geração. "5G nos interessa menos como espectro e mais como gerador de demanda para as minhas redes." Assista à entrevista na íntegra:


Internet Móvel 3G 4G
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Pesquisa, produzida pela Vindi, com dados de 2019, mostra que o cartão de crédito, com larga vantagem, e o boleto bancário são as duas opções preferidas do brasileiro. No mercado de meio de pagamentos, a Cielo manteve a liderança, mas as startups, como a Stone, cresceram e apareceram.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Dataprev contrata Claro por R$ 236 mil para ter fibra ótica no Rio de Janeiro

Contrato, publicado no Diário Oficial da União, prevê a interligação dos prédios do data center da estatal de TI no Rio de Janeiro à filial na mesma cidade, no bairro de Botafogo.

Autor da nova Lei das teles lidera entidade para brigar por banda larga

Ex-deputado Daniel Vilela vai presidir a Aliança Conecta Brasil F4, que nasce com apoio da Huawei, FiberX e da consultoria Teleco, mas quer novos associados. “Não existe economia digital sem infraestrutura”, afirma.

Consumidores: Banda larga é o serviço com menor satisfação, celular o melhor

Para a Anatel, como o padrão de consumo exige estar sempre online, percepção de qualidade é especialmente rigorosa com a conexão à internet.

Decreto da nova Lei de Telecom depende de acerto sobre renovação de frequências

“Entendemos que é melhor que a Lei também seja aplicada para os contratos vigentes e estamos tentando construir uma posição única de governo”, explica o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G