INTERNET

Justiça condena acusado de fazer discurso de ódio no Facebook

Convergência Digital* ... 05/02/2020 ... Convergência Digital

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região condenou a dois anos de reclusão um homem acusado de incitar preconceito de raça e religião contra judeus e o judaísmo através de postagens ofensivas realizadas nos dias 9 e 12 de novembro de 2014, na rede social Facebook.

A condenação, no entanto, será substituída por duas penas restritivas de direitos: prestação pecuniária no valor de um salário mínimo e a prestação de serviços à comunidade, em entidades assistenciais, hospitais, escolas, orfanatos e outros estabelecimentos congêneres, à razão de uma hora por dia de condenação.

As postagens foram realizadas no perfil público do condenado, tendo sido recebidas pelos seus mais de 2800 seguidores e ficando acessíveis, pelo menos, aos seus 4500 contatos nas redes sociais. Nas suas mensagens afirma que “todo desgraçado que apoia o estado ilegal de Israel deve morrer”, bem como “todo judeu sionista”, que são apenas “ratos imundos”, reconhece que “isto é sim um discurso de ódio” e diz que os muçulmanos devem tomar medidas contra este “povo sarnento”. Em seu perfil, imagens utilizadas deixavam clara sua simpatia pelo radicalismo e pela violência.

Para o MPF, “se não há dúvida de que a liberdade de expressão e de pensamento constituem princípios fundamentais das democracias ocidentais, não é possível, tanto em face das aludidas disposições constitucionais e legais, quanto em face das normas de direito internacional as quais o Brasil aderiu, a simples tolerância ilimitada ao discurso discriminatório”. Assim, “nesse contexto, as expressões lançadas pelo condenado incitam o ódio, a aversão e a intolerância, caracterizando o discurso preconceituoso penalmente punível, pois interdita o diálogo”.

No entendimento do desembargador federal relator do voto, “o preceito fundamental de liberdade de expressão não consagra, em hipótese alguma, o direito à incitação e à discriminação e ao preconceito de raça ou religião, dado que um direito individual não pode constituir-se em salvaguarda de condutas ilícitas. Tão grave é o perigo social do preconceito, da discriminação, do racismo, que é nítida a prevalência dos princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade jurídica em detrimento de qualquer argumento em defesa da livre manifestação do pensamento", pontua.

* Com informações do MPF


Demonizar a Internet não resolve a falta de educação

O Brasil precisa de mais diálogo e educação na Internet e entender que a rede é um meio. "A falta de civilidade digital é um retrato da nossa sociedade", afirma Caio Almeida, da Safernet.

Internet no Brasil está longe de ser um ambiente saudável

"Está faltando senso crítico ao internauta", adverte o ciberevangelista Anchises Morais. Ele adverte que os cibercrimosos avançam sobre o medo do Coronavírus.

No Brasil, ainda há quem pense que a Internet é uma terra sem lei

A afirmação é da advogada especializada em direito digital, Cristina Sleiman. Segundo ela, qualquer ato na Internet tem uma consequência e é passível de punição.

TJSC condena Facebook a indenizar em R$ 5 mil por postagens ofensivas

“Empresa tinha o dever legal de exibir as informações de IP e log de acessos solicitadas”, diz a decisão. 

Coronavírus: Teles e ISPs dos EUA vão manter acesso por 60 dias para inadimplentes

Ação acontece após um acerto com a FCC, a Anatel norte-americana. Várias empresas aderiram ao movimento, entre elas, Comcast, AT&T, Verizon, Google Fiber, Sprint e outras.

Revista Abranet 29 . dez/nov 2019 - jan 2020
Veja a Revista Abranet nº 29 Abranet teve uma atuação intensa em 2019, encaminhando contribuições públicas para consolidar uma internet produtiva, livre e inovadora. Futurenet: entidade discute tendências de mercado e tecnologia. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G