Clicky

Home - Convergência Digital

Apple vai pagar R$ 600 milhões por deixar iPhones antigos mais lentos

Convergência Digital* - 18/11/2020

A Apple vai pagar U$ 113 milhões, cerca de R$ 600 milhões, em acordo com 34 estados dos EUA que moveram ações contra a empresa por reduzir deliberadamente a performance de aparelhos iPhone mais antigos, sob alegação de problemas nas baterias. 

Os estados alegaram que a Apple limitou o desempenho em iPhones antigos sem informar aos consumidores nem explicar por quê, o que sustentou as ações por violação às leis de proteção ao consumidor. “A Apple reteve informações sobre suas baterias que diminuíam o desempenho do iPhone, ao mesmo tempo que as passava como uma atualização”, disse o procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, ao anunciar o acordo. 

Em 2016 e 2017, os consumidores que usam as versões regular e Plus dos dispositivos iPhone 6, 6S, SE e 7 reclamaram que seus telefones ficaram significativamente mais lentos com o tempo. Testes de usuários descobriram que o iPhone aparentemente estava diminuindo o desempenho intencionalmente para preservar a vida da bateria ou evitar desligamentos inesperados relacionados a falhas de bateria conforme os aparelhos envelheciam.

A Apple confirmou em dezembro de 2017 que as versões mais recentes do iOS estavam de fato reduzindo intencionalmente o desempenho nesses dispositivos, mas alegou que a medida buscava evitar sobrecarregar as baterias. A empresa ofereceu aos proprietários desses telefones substituições de bateria de preço reduzido - US$ 29, em vez de US $79 - ao longo de 2018 para aliviar o problema.

No Brasil, o Procon-SP notificou a empresa americana sobre o mesmo tema quando a Apple anunciou as condições mais favoráveis para a troca das baterias. 

* Com informações da Ars Technica 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/02/2021
Teles avançam com normativo de autorregulação para cobrança de produtos e serviços

09/02/2021
Samsung faz acordo com Procon-SP para fornecer carregadores no Brasil

17/12/2020
Oi terá que indenizar consumidor em R$ 3 mil por cobrança indevida

26/11/2020
Para acabar com troca-troca de planos pelas teles, Anatel vai impedir mudanças em menos de 12 meses

24/11/2020
Intervozes e Idec pedem que Anatel detalhe as medidas tomadas na crise do Amapá

18/11/2020
Apple vai pagar R$ 600 milhões por deixar iPhones antigos mais lentos

16/10/2020
Claro deve indenizar em R$ 5 mil cliente que perdeu tempo por mau atendimento

02/10/2020
Oi leva multa de R$ 800 mil por bloqueio após consumo da franquia

09/09/2020
Procon de SP notifica Apple por problemas em celulares resistentes à água

01/09/2020
TIM, Vivo, Claro e Sky seguem no top 10 das mais reclamadas de São Paulo

Destaques
Destaques

5G será muito mais B2B e vai injetar R$ 13,5 bilhões no mercado nos próximos dois anos

Finalmente o 5G entrou na lista das dez previsões para os mercados de Tecnologia e Informação e Telecomunicações da IDC para 2021/2022. Consultoria prevê que a receita virá de novos negócios com IA, IoT, cloud, segurança, robótica e realidade aumentada e virtual.

5G só começa depois de garantia de recepção nas parabólicas

Pelo cronograma previsto na proposta de edital, oferta do 5G tem início 300 dias depois de formalizada a ‘compra’ das frequências – portanto no segundo semestre de 2022.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site