Clicky

GOVERNO

GSI é autorizado a impor regras de segurança da informação sem ouvir outras pastas

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/03/2021 ... Convergência Digital

Jair Bolsonaro publicou nesta quarta, 3/3, um novo Decreto (10.641) com alterações na Política Nacional de Segurança da Informação (Decreto 9.637/18) que, em especial, garantem independência ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República competência isolada para expedir normas sobre o tema. 

Em termos práticos, caiu o trecho do Decreto que exigia atuação conjunta com o Comitê Gestor da Segurança da Informação na edição de normas, estratégias e requisitos de segurança em produtos ou na articulação com outros agentes de resposta a incidentes cibernéticos. 

Esse Comitê reúne duas dezenas de ministérios, além da Controladoria Geral da União, Advocacia Geral da União e Banco Central. Ele foi mantido, mas esvaziada a atribuição específica de “assessorar o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República nas atividades relacionadas à segurança da informação”, uma vez que a mesma Política dispensa o GSI de ouvir o Comitê. 

Além de mudanças de redação – como a separação dos ministérios das Comunicações e de Ciência e Tecnologia no Comitê – o Decreto traz mudanças nos comitês internos de segurança da informação de cada órgão público, ao dispensar que seus membros tenham pelo menos comissão equivalente a DAS 5. E, ainda, inserida a previsão de que “o gestor de segurança da informação será designado dentre os servidores públicos ocupantes de cargo efetivo, empregados públicos e militares do órgão ou da entidade, com formação ou capacitação técnica compatível com as normas estabelecidas por este Decreto”.

Finalmente, o novo Decreto altera a redação da PNSI, quando prevê que “os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, nos atos administrativos que envolvam ativos de tecnologia da informação, sem prejuízo dos demais dispositivos legais, incorporarão as normas de segurança da informação estabelecidas pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República”.

A mudança cortou o trecho seguinte da redação anterior, que dizia “e os normativos de gestão de tecnologia da informação e comunicação e de segurança da informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão”. Essa pasta não existe mais, mas foi incorporada pelo Ministério da Economia. 


LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.

Estados e municípios vão ficar com US$ 1 bilhão do BID para digitalização

Ao Convergência Digital, o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, assegura: “Impacto na economia vai chegar a R$ 100 bilhões."

Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G