Home - Convergência Digital

Estudo diz que celulares do Brasil não fazem mal à saúde

Convergência Digital - 19/12/2019

Um estudo realizado pela Anatel sobre a radiação emitida pelos dispositivos de telecomunicações indica que celulares, modens wifi, telefones sem fios ou aparelhos bluetooth em uso no Brasil, e homologados pela agência, apresentam valor médio do indicador SAR “muito abaixo do valor médio recomendado pela Organização Mundial de Saúde”. 

SAR é o acrônimo em inglês para ‘taxa de absorção específica e representa a taxa de energia eletromagnética emitida por aparelhos de comunicação sem fio que o tecido biológico do corpo humano absorve. A OMS recomenda o limite máximo de SAR de 2 W/Kg (watts por quilograma) para a região da cabeça e do tronco. 

O estudo realizado pela Anatel utilizou dados de 18 mil medidas de SAR realizadas de 2013 a 2019 no Brasil. Dentre essas medidas, mais de 12 mil são de aparelhos celulares, cujos resultados demonstraram que, para a tecnologia 3G, a média das medidas apresentou o valor de 0,428W/Kg. Já para o 2G, o valor médio ficou em 0,341 W/Kg, para o 4G, o valor médio foi de 0,291 W/Kg.

A Anatel também analisou a emissão de radiação por modens wifi (0,210 W/Kg) e aparelhos bluetooth (0,192 W/Kg), onde também se observa um valor médio bem abaixo do limite recomendado pela OMS. E destaca que ainda não existem estudos conclusivos que comprovem a existência de riscos à saúde humana causados por emissões de radiação não ionizante por equipamentos portáteis.

“Dos resultados, também se observa que o aumento da capacidade de transmissão de informações resultante da evolução das tecnologias de transmissão de dados (2G, 3G, 4G) não está associado a um incremento nos valores de emissões de radiação não ionizante pelos aparelhos”, diz a Anatel. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

29/09/2020
Anatel chancela prorrogação sucessiva de frequências e prepara refarming

23/09/2020
LGPD: Anatel cria página para explicar quais dados são coletados de usuários de telecom

18/09/2020
Anatel adota novas regras para Conselho de Usuários

17/09/2020
Oito anos depois, teles seguem brigando pela faixa de 450 MHz

17/09/2020
Anatel tem primeiro voto para permitir prorrogação das bandas A e B

11/09/2020
Acordo entre Anatel e Reino Unido prevê R$ 95 milhões para inclusão digital

09/09/2020
Anatel dá vitória à Fox contra a Claro e decide que conteúdo na internet é SVA

31/08/2020
Internet em alta com os ISPs. Telefonia móvel, telefonia fixa e TV paga em queda

27/08/2020
Anatel troca R$ 22 milhões em multas de TIM, Claro e Vivo por obrigações de fazer

24/08/2020
BID defende mercado secundário de espectro no 5G em estudo entregue à Anatel

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site