Clicky

Home - Convergência Digital

Estudo diz que celulares do Brasil não fazem mal à saúde

Convergência Digital - 19/12/2019

Um estudo realizado pela Anatel sobre a radiação emitida pelos dispositivos de telecomunicações indica que celulares, modens wifi, telefones sem fios ou aparelhos bluetooth em uso no Brasil, e homologados pela agência, apresentam valor médio do indicador SAR “muito abaixo do valor médio recomendado pela Organização Mundial de Saúde”. 

SAR é o acrônimo em inglês para ‘taxa de absorção específica e representa a taxa de energia eletromagnética emitida por aparelhos de comunicação sem fio que o tecido biológico do corpo humano absorve. A OMS recomenda o limite máximo de SAR de 2 W/Kg (watts por quilograma) para a região da cabeça e do tronco. 

O estudo realizado pela Anatel utilizou dados de 18 mil medidas de SAR realizadas de 2013 a 2019 no Brasil. Dentre essas medidas, mais de 12 mil são de aparelhos celulares, cujos resultados demonstraram que, para a tecnologia 3G, a média das medidas apresentou o valor de 0,428W/Kg. Já para o 2G, o valor médio ficou em 0,341 W/Kg, para o 4G, o valor médio foi de 0,291 W/Kg.

A Anatel também analisou a emissão de radiação por modens wifi (0,210 W/Kg) e aparelhos bluetooth (0,192 W/Kg), onde também se observa um valor médio bem abaixo do limite recomendado pela OMS. E destaca que ainda não existem estudos conclusivos que comprovem a existência de riscos à saúde humana causados por emissões de radiação não ionizante por equipamentos portáteis.

“Dos resultados, também se observa que o aumento da capacidade de transmissão de informações resultante da evolução das tecnologias de transmissão de dados (2G, 3G, 4G) não está associado a um incremento nos valores de emissões de radiação não ionizante pelos aparelhos”, diz a Anatel. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Oi acerta corte de 50% em multas da Anatel, para R$ 7 bilhões, mas conta pode cair para R$ 4 bilhões

27/11/2020
Anatel abre licitação para elaboração de novo modelo de custos

27/11/2020
Anatel encerra ciclo de TACs em acordo fraco com Algar

27/11/2020
Com prioridade pra TVs, Anatel divide sobras de R$ 1,4 bilhão da TV Digital

26/11/2020
Para acabar com troca-troca de planos pelas teles, Anatel vai impedir mudanças em menos de 12 meses

26/11/2020
Anatel renova faixa de 850 MHz para Vivo, mas nega pedido de redução de preço

23/11/2020
Anatel abre licitação de R$ 7,2 milhões para chamadas pelo 1331

12/11/2020
Anatel e ABDI vão testar uso industrial e redes privadas no 5G

12/11/2020
Carlos Baigorri é o novo relator do edital do 5G na Anatel

10/11/2020
No STF, Anatel defende gratuidade do direito de passagem

Destaques
Destaques

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Aos 23 anos, Anatel lista 5G como próximo desafio

“Entre os desafios que nos aguardam, a economia brasileira precisa ter sua digitalização aprofundada, a conectividade precisa se tornar mais real na vida dos brasileiros”, destacou o presidente da agência, Leonardo de Morais, também ressaltando a segurança cibernética e renovação das concessões em 2025.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site