GOVERNO » Política Industrial

Governo e empresas criam Câmara para acelerar digitalização da indústria

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/04/2019 ... Convergência Digital

Uma costura entre os ministérios da Economia e de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações e da CNI resultou no lançamento, nesta quarta, 3/4, da Câmara da Indústria 4.0, que se propõe um espaço de articulação para que ações efetivas, medidas administrativas e mudanças legais que acelerem a transformação digital no setor produtivo.

Em certa medida, trata-se de um spin-off da Câmara de IoT, com foco no setor industrial – o que implica em tocar adiante ações previstas no esperado plano nacional de internet das coisas, mas também questões que interessam à indústria e que não fazem necessariamente parte da política de IoT, como impressão 3D, por exemplo.

“No processo de acelerar o parque produtivo na realidade do século 21, em que as tecnologias da informação são estratégicas, a Câmara tem o papel de monitorar as ações e os ajustes ao longo do tempo, mas principalmente de dar velocidade e cobrar, cobrar resultados de forma muito efetiva”, resume o secretário de empreendedorismo e inovação do MCTIC, Paulo Alvim.

A coordenação é da Sempi/MCTIC em conjunto com a secretaria de indústria, comércio e inovação do Ministério da Economia e a estrutura inclui um Conselho com integrantes das duas pastas e também da Confederação Nacional da Indústria, BNDES, Embrapii, Sebrae, Abdi, CNPq e Finep. Haverá quatro verticais, sobre capital humano e desenvolvimento tecnológico, lideradas pelo MCTIC, e sobre cadeias produtivas e regulação, infraestrutura e investimento, com o ME.

O marco referencial para o trabalho é o plano para manufatura avançada, apresentado no fim de 2017 e que diagnosticou as dificuldades de conectividade e de qualificação de mão de obra como os maiores obstáculos à materialização da chamada 'indústria 4.0' no Brasil.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PGFN concede poderes ao BNDES vender o Serpro

A fim de privatizar a maior empresa de TI do país, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional delegou competência ao banco de fomento para alienar a participação da União na estatal. 

Governo publica orçamento sem vetos, com menos recursos para MCTIC

Como aprovado em dezembro, Orçamento estipula R$ 11,81 bilhões para a pasta, 22% a menos do que a Lei Orçamentária original de 2019, depois contingenciada para R$ 13 bilhões. 

Governo diz que não vai vender dados de Serpro e Dataprev, mas pode terceirizar custódia

“Vários países não têm empresas de governo mas custodiam dados. Pode fazer isso internamente ou subcontratar”, diz o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel. 

Microcity recebe certificação CertiGov

Selo de compliance garante a integridade, a conformidade da empresa e a qualifica a vender ao governo reduzindo riscos nas transações.

Dataprev encerra atuação em 20 Estados e quer demissão de 15% dos empregados

Estatal oficializa o Programa de Adequação de Quadro(PAQ) onde coloca como meta a saída de 493 empregados. Também anuncia a centralização das atividades em sete regiões, onde existem data centers e unidades de desenvolvimento.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G