Convergência Digital - Home

Clientes não querem reescrever aplicações ao migrar para nuvem

Convergência Digital
Por Roberta Prescott - 07/10/2019

"Os nossos clientes têm uma necessidade de conectar as aplicações que nascem em clouds, multiclouds e clouds híbridas e acessar os dados que estão dentro do mainframe. Na plataforma z15, nos endereçamos este problema, ou seja, disponibilizar os dados armazenados de forma segura para as aplicações deste mundo novo. O z15 visa a se encaixar na estratégia de cloud dos nossos clientes", reforçou Anibal Strianese, diretor de soluções de servidores para o Brasil na IBM. Os equipamentos da linha z15 foram apresentados no Brasil, em evento realizado em São Paulo, no dia 03 de outubro.

Strianese explicou que os clientes não querem ter de reescrever as suas aplicações para movê-las para nuvem — e que esta foi uma necessidade atendida pelo z15. O desenvolvimento da plataforma mainframe foi cocriada pela IBM junto com 300 clientes e uma das demandas foi justamente em como disponibilizar os dados do mainframe e do legado de forma segura. "Apenas 20% dos workloads migraram para a nuvem, temos 80% das aplicações residindo em infraestrutura tradicionais; há uma necessidade em se conectar as aplicações. O z15 se encaixa na estratégia de transformação digital dos nossos clientes", explicou.

Citando a visão da IBM, Strianese destacou que o futuro será marcado pela infraestrutura de nuvem híbrida. "No começo, todos tinham ideia de que tudo iria para nuvem, mas vemos que isto não é realidade para a maioria das empresas, que, hoje, possuem uma estratégia de cloud híbrida, colocando dados rodando em infraestrutura on-premise e com outras aplicações na nuvem", disse, acrescentando que os clientes também não ficam com apenas um provedor de computação em nuvem. "É preciso que as aplicações se integrem e possam usar os dados de forma transparente e garantindo a segurança dos dados." Confira a entrevista na íntegra:


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Para OCDE, a transformação digital está no topo da agenda global

Brasil ainda precisa superar o desafio da inclusão digital, afirma o diretor da entidade para América Latina, Roberto Martínez Yllescas.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site