GESTÃO

Brasil 'empaca' em ranking global de competitividade

Da redação ... 26/11/2012 ... Convergência Digital

O Brasil está na 37º num ranking formado por 43 países na área de competitividade, revela pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e divulgada nesta segunda-feira, 26/11. O levantamento refere-se ao ano de 2011.

Isso significa que em relação ao estudo anterior - de 2009 - o país subiu uma posição - saiu da 38ª para a 37º, mas com 22,5 pontos, o Brasil ficou no grupo considerado de competitividade baixa, abaixo de países como México, que aparece no ranking em 34º lugar com 28,3 pontos, e da Tailândia, em 35º lugar com 26,3 pontos.

O primeiro lugar do ranking é ocupado pelos Estados Unidos, que obteve 91,8 pontos. China aparece em segundo lugar, com 75,3 pontos, e Suíça, em terceiro lugar, com 74,7 pontos. O Índice de Competitividade da Fiesp (IC-Fiesp) avalia fatores considerados determinantes para a competitividade de um país: economia doméstica, abertura, governo, capital, infraestrutura, tecnologia, produtividade e capital humano.

Apesar do resultado, o Brasil avançou. Segundo o levantamento, entre 2000 e 2011, o índice de competitividade do Brasil passou de 17,4 pontos para 22,5 pontos, um ganho de 5,1 pontos. Mas, por outro lado, a Coreia do Sul apresentou um crescimento de nove pontos no mesmo período, enquanto a China mostrou um aumento de competitividade de oito pontos, seguida pela Irlanda, com ganho de sete pontos entre 2000 e 2011.

A pesquisa identificou quatro grupos com níveis de competitividade diferentes entre os 43 países em 2011. Países com competitividade satisfatória, como a Suécia, em 12º lugar com 67,4 pontos, Alemanha, em 13º lugar com 66,4 pontos, e Finlândia, em 14º lugar com 62,6 pontos, ocupam o segundo grupo, enquanto a Espanha, Rússia e Itália compõem um terceiro grupo de países que apresentam competitividade média, ocupando as 23ª, 24ª e 25ª colocações, respectivamente.


Carreira
Análise de requisitos define sucesso ou morte dos projetos de TI

Como demonstra o professor e pesquisador Marcos Kalinowski, do departamento de informática da PUC-RJ, especificação boa ou ruim pode triplicar a produtividade ou aumentar em até 50% os custos. O professor da PUC-RJ coordena um projeto de pesquisa na área de Engenharia de Requisitos que envolve mais de 50 pesquisadores de 20 países.

Fiat Chrysler avança no uso de Internet das Coisas

O CIO para a América Latina da montadora, André Souza Ferreira, afirma que um carro, hoje, precisa ser visto como uma plataforma móvel capaz de trafegar informações sobre o comportamento do motorista.

Transformação digital exige a modernização da área de TI das telcos

O vice-presidente de Vendas da Dell Technologies no Brasil, Marcelo Medeiros, diz que a modernização da TI permitirá às teles proporcionar mais agilidade, automação e flexibilidade aos seus produtos. A computação na borda ganha cada vez mais relevância na estratégia dos negócios.
 

Dell: sucesso do big data passa pela democratização do acesso à informação

Os investimentos em big data e analytics só se justificam se houver uma cultura da informação bem estabelecida, passando pela democratização dos dados, o engajamento e a capacitação dos colaboradores em todos os níveis.

Falta de alinhamento da TI com o negócio prejudica redes corporativas

Só 36% das empresas se dizem “muito satisfeitas” com redes e apontam disparidade como maior obstáculo, segundo pesquisa da Accenture.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G