Home - Convergência Digital

Sem acordo com teles, Anatel manda MMDS desocupar faixa de 2,5GHz

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 01/03/2013

Sem acerto entre teles e operadoras de MMDS, a Anatel determinou, através de uma cautelar publicada nesta sexta-feira, 1º/3, a liberação da faixa de 2,5 GHz nas cidades-sede da Copa das Confederações até 12 de abril. O objetivo é garantir que as vencedoras do leilão do 4G tenham tempo para iniciar ofertas do serviço até 30/4, como previa o edital.

“O prazo para que as empresas chegassem a um acordo venceu na semana passada, sem entendimento. Algumas empresas pediram mediação e a gente resolveu fazer uma cautelar para que as empresas saiam da faixa. Se [as teles] têm que oferecer serviço até 30 de abril, precisam de pelo menos duas semanas para se preparar”, explica o superintendente de serviços privados da Anatel, Bruno Ramos.

Segundo Ramos, ainda que algumas empresas pareçam mais próximas de um acordo, na prática nenhuma delas efetivamente fechou negócio. Como o uso da faixa de 2,5 GHz para oferta de 4G pressupõe que a maior parte do espectro até aqui ocupado pelas operadoras de MMDS (micro-ondas) será liberado, esses dois grupos de empresas tiveram tempo para acordos entre si.

Como os acordos não aconteceram – essencialmente, as empresas de MMDS querem receber muito, enquanto as teles querem pagar muito pouco - a Anatel assumiu a mediação. A própria cautelar publicada nesta sexta reafirma a “intenção da Anatel em decidir tais pedidos antes de 30 de junho de 2013, prazo limite para utilização das faixas, em caráter primário, pelas prestadoras de MMDS”.

“Precisamos avisar os usuários [do MMDS] com pelo menos 30 dias de antecedência. Estamos dando mais de 40 dias para esvaziarem. Fizemos muitas reuniões tentando com que chegassem em acordo. O problema é o prazo. Está ficando muito perto”, insiste o superintendente de serviços privados. “Antes mesmo do fim de junho vamos tomar uma decisão”, completa. Tudo indica que a agência terá que arbitrar o valor de “indenização” às empresas de MMDS.

Assim, as empresas de MMDS devem comunicar a seus assinantes a situação até 15/3 e comprovar à Anatel, até 19/4, que as faixas – efetivamente 2.510 MHz a 2.570 MHz e de 2.630 MHz a 2.690 MHz – estão desocupadas. Eventuais descumprimentos têm multa prevista de R$ 200 mil por dia.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/09/2019
Rodrigo Abreu, ex-TIM, assume função estratégica na Oi

20/09/2019
Lei da Liberdade Econômica é sancionada e e-Social é extinto

20/09/2019
Roubo de equipamentos de teles leva à prisão donos de ISPs em São Paulo

20/09/2019
Governo revê contratos de TI, faz cortes acima de 30% e adota catálogo unificado

20/09/2019
TVs têm parecer favorável da AGU contra o recolhimento de FUST

20/09/2019
Advogados usam blockchain para eleger representantes no TJ/Distrito Federal

20/09/2019
AGU cria portal na internet para acordos entre credores e a União

19/09/2019
Ministério da Justiça investiga TIM por possível vazamento de dados

19/09/2019
Brasil contabiliza 37 iniciativas de reconhecimento facial

19/09/2019
5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Destaques
Destaques

Na América Latina, 33% da população ainda não têm acesso ao celular

Estudo global da GSMA mostrou ainda que, em 2018, 31 milhões de empregos, entre diretos e indiretos, foram criados pela economia móvel, que gerou US$ 3,9 trilhões, ou R$ 15,8 trilhões. O 4G se tornou o padrão da telefonia móvel.

Smartphones receberam seis tentativas de ataques por minuto na América Latina

O Brasil é o país que lidera esse tipo de ataque, especialmente por meio do adware.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site