INTERNET

Dilma ganha apoio internacional por criticar EUA e defender Internet

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/09/2013 ... Convergência Digital

Ao reclamar da espionagem e defender a Internet aberta, neutra e com governança multiparticipativa em seu discurso na ONU, Dilma Rousseff angariou atenção e aliados. Em carta que será entregue nesta sexta-feira, 27/9, 58 entidades de 14 países, inclusive dos Estados Unidos,  expressam “forte apoio” às palavras da presidenta.

Na carta, que também pode ser assinada pela Internet (bestbits.net/brazil-66-unga), instituições como Consummers Internacional, Electronic Frontier Foundation, Anistia Internacional, WWW Foundation, Nupef, Associação Software Livre e FGV “enaltecem” que Dilma tenha “tomado um papel de liderança nesses assuntos”. 

“Endossamos totalmente os cinco princípios enunciados, em clara concordância com os princípios balizadores da governança e uso da Internet no Brasil, ressaltamos a importância da adoção do Marco Civil da Internet, enaltecemos a coragem de o Brasil desaprovar e cobrar explicações dos EUA sobre a interceptação ilegal de dados e informações”, diz a carta.

No caso, Dilma listou liberdade de expressão, privacidade governança multilateral, diversidade cultural e neutralidade de rede. Como chegou a descrever em seu Twitter o ‘pai’ da Internet no Brasil, e membro do CGI, Demi Getschko “Dilma praticamente lê o decálogo do CGI na abertura da ONU!”.

Também de acordo com o que disse a presidenta Dilma na terça-feira, em Nova York, o documento, que também tem assinaturas individuais, defende que o modelo brasileiro de governança, nos moldes do Comitê Gestor da Internet no Brasil, “seja estendido a esferas mais amplas”.

Veja a íntegra da ‘carta das organizações internacionais da sociedade civil para a presidenta Dilma Rousseff em apoio ao discurso na 68ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas’:

“Nós, abaixo-assinadas organizações e indivíduos ao redor do mundo, comprometidos com o desenvolvimento da Internet e seu uso para avanços na justiça social e econômica, gostaríamos de expressar nosso forte apoio pelo discurso feito nesta semana por sua Excelência na 68a sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. Enaltecemos você por tomar um papel de liderança nesses assuntos e gostaríamos de:

1. Endossar totalmente os cinco princípios enunciados na ocasião, em clara concordância com os princípios do Comitê Gestor brasileiro para a governança e uso da Internet;

2. Ressaltar a importância da adoção tempestiva do Marco Civil da Internet na forma em que sustenta esses princípios e endossa o processo inovador e democrático pelo qual ele foi concebido".

3. Enaltecer a coragem do Brasil em expressar desaprovação e exigir explicações dos EUA sobre os procedimentos de interceptação ilegal de informações e dados, enquadrando-os como grave violação dos direitos humanos e das liberdades civis;

4. Reforçar nosso apoio para a extensão a esferas mais amplas de governança da Internet da experiência do modelo multiparticipativo brasileiro de governança, liderado pelo CGI.br.

Expressamos nosso profundo apreço pelo seu sério compromisso com a justiça social e o desenvolvimento, dos quais uma Internet aberta, estável e confiável é um pilar fundamental.”

Leia o documento em: http://bestbits.net/brazil-66-unga/


Eduardo Neger é o novo presidente da Abranet

Ele assume para o biênio 2019/2021 e a posse da nova diretoria está marcada para o começo de abril. Eduardo Parajo, que estava à frente da entidade, ficou com a vice-presidência.

Abrafix vai ao STF contra Lei do Rio de Janeiro sobre interrupção de telefone e internet

A Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix) ajuizou ação contra a Lei 8.099/2018, que obriga as concessionárias de serviços públicos essenciais a informar em tempo real a interrupção de seus serviços. Entidade ressalta que a competência para legislar sobre telecom é da União.

STJ decide que é ilegal cobrar taxa de conveniência para ingressos online

Julgamento da 3ª turma do Superior Tribunal de Justiça tem validade em todo o território nacional.

PayPal quer ter voz de comando no Mercado Livre

Empresa norte-americana quer comprar US$ 750 milhões em ações ordinárias do empresa de comércio eletrônico, que quer receber um aporte de US$ 1 bilhão para 'expandir a plataforma de comércio eletrônico'.

Candidata presidencial nos EUA quer tirar poder da Amazon, Google e Facebook

Senadora do partido Democrata por Massachusetts, e em campanha para enfrentar Donald Trump no ano que vem, Elizabeth Warren defende transformar as grandes plataformas da internet em “utilities” e  desfazer fusões e compras.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G