TELECOM

Teles mantêm cortes na Internet, mas prometem esclarecer usuários

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/04/2015 ... Convergência Digital

Diante das reações negativas ao corte das conexões à Internet ao fim das franquias – e dos processos judiciais que pipocam em vários estados do país – as operadoras móveis decidiram levar ao governo uma proposta para melhorar a comunicação com os clientes sobre a contratação e uso dos planos de dados. Até que isso esteja na rua, a promessa é de que o corte não será ampliado para novos planos – notadamente os pós-pagos.

Um termo de compromisso, subscrito por Vivo, TIM, Claro, Oi, Algar e Sercomtel, foi levado nesta quinta-feira, 23/4, ao Ministério das Comunicações e à Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Ele prevê a elaboração de um ‘código de conduta’ para as propagandas de acesso à Internet móvel, uma campanha de informação sobre como funcionam os pacotes de dados e a disponibilização de uma ferramenta para controle do consumo.

“É um compromisso público conjunto das empresas, porque entendemos que com o crescimento grande do uso é natural que alterações acabem causando reações e a necessidade de melhor comunicar essas mudanças”, diz o presidente da TIM, Rodrigo Abreu. Mas ele deixa claro que a decisão de cortar o acesso após o consumo da franquia continua. Temos absoluta convicção de que não existe nenhum tipo de ilegalidade, nenhum tipo de violação de regulamento”, emenda.

As operadoras também prometeram que até que os itens do compromisso sejam colocados em prática, não haverá a inclusão de novos planos no sistema de corte do acesso ao fim da franquia. “O importante é que as empresas sinalizaram atuar naquilo que a Anatel vê como mais importante, que é a transparência. Vamos acompanhar, mas até que as ações comecem, o corte não será ampliado”, diz a superintendente de Relações com os Consumidores da agência, Elisa Peixoto.

Vale dizer que os três compromissos – melhorar a comunicação, fazer campanha educativa e oferecer uma ferramenta de controle de consumo de dados – já são obrigações previstas no Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações, ou simplesmente RGC, aprovado pela Anatel no ano passado. Ainda assim, as teles sustentam que o compromisso fará diferença e que medidas genéricas daquela norma serão melhor detalhadas.

“Não temos dúvida de que com esse compromisso vamos reduzir os problemas”, frisou o presidente da Claro, Carlos Zenteno. “Mesmo a ferramenta de medição do consumo será melhorada, para facilitar a utilização”, completa. Pelo termo apresentado ao governo, essa ferramenta melhorada será apresentada em 30 dias. Junto com ela, deverá ser concluído o código de conduta de como será a publicidade do serviço. E em 60 dias deve ser iniciada a campanha para explicar como funciona o consumo do pacote de dados.


Internet Móvel 3G 4G
Caixa Tem amplia compras pelo celular e alcança 2,1 milhões de transações digitais

A partir desta sexta-feira, 29/05, os beneficiários do auxílio emergencial vão poder pagar compras em cerca de 3 milhões de estabelecimentos comerciais do País com o celular. Inicialmente o serviço está disponível nas maquininhas da bandeira Elo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Anatel discute quais dados econômicos vão ser coletados das grandes operadoras

Consulta pública sobre os indicadores econômico-financeiros está aberta por 45 dias. 

Anatel afasta redutor de multas em sanções de obrigação de fazer

Provocada pela Telefônica, prevaleceu o entendimento indicado pela AGU de que o regulamento vigente da agência não permite o uso desse incentivo fora das sanções pecuniárias.

Anatel vai discutir uso dos espectros ociosos em consulta pública

Proposta de uso do White Spaces entre frequências outorgadas é cautelosa ao prever uso em áreas rurais e regiões remotas.  Ideia é permtir o uso secundário para telefonia e banda larga em áreas rurais e regiões remotas.

Por mudança no plano de recuperação judicial, Oi adia divulgação de resultados

Operadora deveria divulgar os resultados do primeiro semestre nesta quinta-feira, 28/05, mas adiou para 15 de junho. Mas para conter especulações, Oi disse à CVM que possui R$ 6,31 bilhões no caixa.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G