Home - Convergência Digital

Despenca a venda de tablets e PCs. Smartphones resistem à crise

Ana Paula Lobo* - 23/06/2015

Dados da IDC, organizados pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica Eletrônica), e divulgados nesta terça-feira, 23/06, apontam que, a comercialização de computadores e de celulares apresentou retração de janeiro a abril deste ano, na comparação com o mesmo período de 2014, fruto do arrefecimento do mercado interno.

No caso dos computadores, as vendas totais foram de 4,8 milhões de unidades, o que representou uma queda de 25%. O mau desempenho atingiu os desktops (- 23%), os notebooks (- 22%), e também os tablets (- 27%). Por sua vez os celulares, cujas vendas no mercador interno atingiram 20,4 milhões de unidades, apresentaram uma redução de 7% em aos quatro primeiros meses do ano passado.

A queda só não foi maior em função do aumento de 24% na comercialização de smartphones, que chegou a 18,9 milhões de janeiro a abril/2015. Já os aparelhos tradicionais sofreram queda de 77%.

*Com dados da Abinee

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/06/2020
Home Office faz mercado de PCs crescer 16% no 1º trimestre no Brasil

15/06/2020
Governo seleciona até 10 projetos de R$ 1 milhão para reuso de computadores

27/05/2020
Covid-19 acelera o fim do uso dos desktops nas corporações

20/04/2020
Venda global de PCs sofre sua maior redução desde 2013

06/04/2020
Coronavírus desfaz qualquer projeção para venda de PCs, impressoras e tablets no Brasil

17/03/2020
Coronavírus: Empresa nacional vê demanda por aluguel de hardware de TI crescer 300%

09/03/2020
Sem encomendas para celulares e PCs, indústria de plástico suspende produção

03/03/2020
Smartphones: Huawei abre distância da Apple e se aproxima da Samsung

02/03/2020
Fabricantes de eletrônicos de Manaus só têm estoque de componentes para 15 dias

07/02/2020
Apple é multada por reduzir desempenho de iPhones antigos

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site