INTERNET

Entidades exigem manifestação pública do CGI.br sobre Internet.org

Luiz Queiroz* ... 24/08/2015 ... Convergência Digital

A PROTESTE e outros 26 representantes do Terceiro Setor, do ativismo digital, decidiram pressionar o Comitê Gestor da Internet no Brasil, para que a entidade se manifeste publicamente, de preferência contra, sobre o projeto "Internet.org" lançado pelo Facebook e que ganhou parceria do governo brasileiro.

Assim que foi anunciado o acordo, o CGI.br se reuniu, em julho, para avaliar a conveniência de ir à publico dar o seu parecer. Mas interbnamente a entidade rachou. Nem todos os conselheiros eram à favor do projeto, mas outra parte achava que não teria o porquê de se manifestar publicamente, uma vez que o assunto não diria respeito ao foco da sua atuação: a governança da Internet.

Além disso, entenderam que, como o CGI.br não é um órgão de governo, não caberia à ele, sem ter sido consultado previamente, se manifestar dando apoio ou discordância ao projeto do Facebook, se este não guarda relação com as atividades da entidade, formada por diversos setores da sociedade, inclusive governo e os ativitas digitais, agora em posições antagônicas.

Mas a PROTESTE ve a questão de forma diferente e entende que o Internet.org bate de frente com o Marco Civil da Internet, na questão da neutralidade de rede. Integrante no CGI.br, entende que o organismo precisa se manifestar publicamente e o caminho natural seria uma sessão aberta do Comitê Gestor para discutir o assunto. "É pedida a realização de reunião aberta, a fim de retomar a discussão sobre o projeto no conselho do órgão, que não se manifestou em sua última reunião, no final de julho, por falta de consenso entre seus integrantes", diz a nota oficial da PROTESTE.

No entendimento dos ativistas digitais, "a manifestação do CGI.br é oportuna e relevante", porém a entidade não conta o que teria ocorrido nos bastidores da reunião de julho, que suscitou agora essa cobrança. Entretanto dá pistas de que o CGI.br procurou o Facebook para entender as razões desse projeto, mas não divulgou publicamente seus resultados. Segundo a nota oficial dos ativistas. "o Marco Civil da Internet atribuiu ao órgão a gestão da internet no Brasil e "criou" (grifo do Convergência Digital) expectativa com a resposta do Facebook após os questionamentos feitos pelo conselho".

Por fim, as entidades que assinaram o manifesto afirmam que o Internet.org "é ilegal por contrariar a garantia de neutralidade da rede, por fornecer acesso à internet restrito a determinados aplicativos e conteúdos; por violar o direito à informação e incidir em publicidade enganosa ao omitir seu teor comercial por trás da denominação ".org" – cujo objetivo é o estímulo a contratação de serviços ofertados na internet. Além de ferir direitos do consumidor, como a liberdade de escolha e proibição de venda casada, pois quem define os provedores de conexão e os aplicativos a serem acessados é o Facebook".

E alergam que a parceria do governo com o facebook tem fins comerciais, mascarados por um suposto programa de inclusão digital. "O objetivo real da parceria firmada entre o Facebook e o governo, sob o pretexto de inclusão digital, é de fisgar usuários para a plataforma e para as empresas parceiras que atuam na camada de infraestrutura e na camada de conteúdos e aplicações".

Em maio, a PROTESTE e 33 entidades entregaram carta à presidente Dilma Rousseff com críticas ao Internet.org, implementado pelo Facebook em países da América Latina, África e Ásia. A iniciativa da rede social viola direitos assegurados pelo Marco Civil da Internet (Lei n° 12.965), como a privacidade, a liberdade de expressão e a neutralidade da rede.

Assinam a carta:

PROTESTE – Associação de Consumidores

ACTANTES

Barão de Itararé – Centro de Estudos da Mídia Alternativa

Centro Cultural Coco de Umbigada – Olinda/PE

CIBERCULT – Laboratório de Comunicação Distribuída e Transformação Política – ECO UFRJ

Clube de Engenharia

Comunidade Curitiba Livre

Coletivo Digital

Coletivo Locomotiva Cultural

Coletivo Soylocoporti

FotoLivre

Fora do Eixo

Fundação Blogoosfero

Hackagenda

IBIDEM – Instituto Beta para Internet e a Democracia

IDEC – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

InCiti – Inovação e Pesquisa para as Cidades – Universidade Federal de Pernambuco

Instituto Bem Estar Brasil

Instituto Brasileiro de Políticas Digitais

Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social

LABIC UFES

Mídia NINJA

Movimento Mega

Núcleo do Barão de Itararé no Paraná

ParanáBlogs – Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná

Software Livre Brasil

TIE-Brasil

* Com informações da PROTESTE e entidades do terceiro setor.


Dona das Casas Bahia e Ponto frio lança banco digital no Brasil

Grupo Via Varejo anunciou parceria com startup norte-americana Airfox, com foco em clientes de baixa renda e uso das 800 lojas físicas como pontos de atendimento no país.

Acessos acima de 34Mbps já são 30,6% da banda larga fixa no Brasil

Planos com maiores velocidades são os que mais cresceram nos quatro primeiros meses de 2019, embora 13,6% das conexões ainda sejam abaixo de 2 Mbps. Provedores Internet seguem sendo os impulsionadores do desempenho da banda larga fixa.

Serpro: O não consentimento será a exceção com dados pessoais

Diretor-Presidente do Serpro, Caio Paes de Andrade, lembra que, com o LGPD, um órgão público ou privado - poderá, sem consentimento, processar dados em situações como o cumprimento de um  contrato.

Mais de 22 mil conteúdos ilegais da Internet foram removidos no Brasil no 1º tri

A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) informa que esse montante é 9% maior do que o retirado no primeiro trimestre de 2018.

Peru, Colômbia, Equador e Bolívia se unem contra ICANN e Amazon

Presidentes dos quatro países contestam decisão favorável da ICANN à companhia norte-americana pelo domínio da Internet e acusam a entidade de conduzir uma governança inadequada da Internet.

Revista Abranet 27 . abril/junho 2019
Veja a Revista Abranet nº 27 A Convenção Abranet 2019 debateu economia, política e gestão. Cerca de cem empresas de internet e de tecnologia puderam ter uma visão mais clara sobre o que esperar no curto prazo. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G