INCLUSÃO DIGITAL

Amazônia conectada: fibra até Tefé só deve ficar pronta em 2016

Luís Osvaldo Grossmann ... 26/08/2015 ... Convergência Digital

A troca do fornecedor de fibras ópticas para o projeto Amazônia Conectada deve empurrar o cronograma do Exército para a próxima etapa: os 220 km de fibras entre Coari e Tefé, com um cabo sob o rio Solimões. A mudança, no entanto, foi uma imposição orçamentária. Diante de cortes que reduziram o disponível para R$ 15 milhões, a saída foi trocar o fornecedor instalado no Brasil por uma empresa da Noruega.

O processo de compra internacional foi a saída para o aperto financeiro de um projeto que nasceu estimado em R$ 1 bilhão, mas agora cabe em R$ 500 milhões. Segundo o Exército, a norueguesa Nexans apresentou um preço até 60% mais baixo que da multinacional instalada no país. A própria duração do processo e o prazo de entrega implica que as fibras só chegarão no fim do ano. Com isso, o próximo trecho do projeto, até Tefé, só deve ficar pronto em meados de 2016.

Essa parcela está orçada em R$ 15 milhões e, em princípio, esses recursos estão já garantidos pelo governo federal. Como explica o vice-chefe de Tecnologia da Informação e Comunicações do Exército, general Antonino dos Santos Guerra, a busca agora é pelos R$ 100 milhões da etapa que se pretende em seguida: continuar a partir de Tefé com o lançamento de fibras pelo Solimões até Tabatinga, na fronteira com a Colômbia.

“É o maior projeto de fibra subaquática no mundo. Mas a fabricação da fibra vai demorar e vamos chegar a Tefé em meados do ano que vem”, reconhece Santos Guerra. Além da rota pelo Solimões, outro tronco sobe o rio Negro até São Gabriel da Cachoeira. Um terceiro segue a rota do rio Madeira, até Humaitá. Os outros dois são entroncamentos do Solimões pelos rios Juruá e Purus. Ao todo, 52 municípios e quase 4 milhões de pessoas. Mas pode ser até mais. “Queremos chegar atender a 13 milhões de pessoas hoje desconectadas”, diz o general.

O Exército envolve inicialmente o próprio Exército e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). Cada um deve ficar com um dos pares de fibras do cabo subfluvial. Além deles, a empresa de processamento de dados do Amazonas, a Prodam e a Telebras também devem se envolver no Amazônia Conectada, mas ainda não foi estabelecida a governança sobre essa infraestrutura.

“Nossa necessidade é uma fração da capacidade total. Mas essa infraestrutura pode atender toda uma região isolada. Hoje, uma pessoa em Tefé tem que pagar R$ 8 mil por 1 Mbps. Se abrirmos essa rede, haverá interessados. Mas essa negociação não deveria ficar com o Exército. Seria melhor se isso ficasse com a Telebras”, diz Santos Guerra. A estatal, por enquanto, refuta assumir todo o cabo submarino, preferindo usar sua cota, ou seja, seu par de fibra.


Google Station é plataforma de monetização para Programa WiFi Livre SP

Empresa firmou parceria com América Net e Linktel, com patrocínio do Itaú, e já conta com 80 hotspots distribuídos na capital de São Paulo.

TV Digital: Com parecer pró-TVs, Anatel acena com recursos para banda larga

Disputa pelos R4 3,6 bilhões acontecia entre TVs e Teles. Com saldo, haverá dinheiro para os demais projetos, afirma o presidente do Gired, conselheiro Moisés Moreira.

Infovias compartilhadas são estratégicas para ampliar a banda larga

Governo costura uma agenda de ações para massificar o acesso à conectividade no Brasil, entre elas está a revisão do fomento para as cidades inteligentes, revela o secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Menezes. Política governamental será debatida no Brasscom TecFórum, que acontece nos dias 24 e 25 de abril, em Brasília.

Embratel instala 15 mil novos hotspots gratuitos de Wi-Fi em Pernambuco

Operadora explica que serão 12500 pontos Wi-Fi instalados em órgãos do governo do Estado e aproximadmente 3000 direcionados para praças e locais públicos. Iniciativa faz parte do programa Pernambuco Conectado, que tem investimentos previstos de R$ 180 milhões.

Para Cade, não houve abuso das teles em questionar contrato da Telebras

Estatal acusou Sindisat, Sinditelebrasil e a amazonense Via Direta de ligitância de má-fé nas disputas judiciais pelo uso do satélite nacional. Para órgão antitruste, aões não eram infundadas.

Anatel empurra para abril decisão sobre uso das sobras da TV Digital

Grupo com teles, TVs, governo e agência tem até aqui três propostas distintas de como aplicar os estimados R$ 877 milhões.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G