SEGURANÇA

Crimes Cibernéticos: CPI se perde e atira para todos os lados

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/08/2015 ... Convergência Digital

A ideia era desviar ao menos parte do foco da CPI da Petrobras, mas criada em tempos de presidente da Câmara na oposição, a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Crimes Cibernéticos atira para vários lados – pedofilia, fraudes e crimes contra a honra – sem muita clareza até aqui de onde quer chegar.

Há interesses específicos em pauta. Por exemplo, uma tentativa de reabrir a discussão sobre guarda e, especialmente, acesso a dados de internautas por autoridades policiais sem ordem judicial. Ou, ainda, a busca de parlamentares por meios expeditos para a remoção de conteúdo que, entendem, ofendem a honra. Se existe algum foco, é na busca por novos constrangimentos ao governo.

Nesse contexto, a CPI recebeu nesta quinta, 27/8, representantes do Google, Facebook, twitter e Yahoo. A maioria dos questionamentos foi sobre ferramentas de remoção de conteúdo e incluíram queixas ao que diferentes parlamentares entenderam como falta de proatividade das empresas da internet.

“Falta proatividade. É importante fomentar a denúncia, mas vejo empresas se furtarem da detecção e repreensão desses crimes. Uma rápida busca no Google sem nenhum termo pesado ou pejorativo e tivemos imagens de crianças dançando, dança sensual de alunos de ensino médio e o que chamam de flagras reais. O pior são os comentários”, lamentou o deputado Rafael Motta (PROS-RN).

Motta é um dos quatro subrelatores da CPI – o que em si já indica um leque amplo de investigações – e sua preocupação é com abuso na coleta de dados e na divulgação de informações nocivas. Para sustentar seu ponto, ele mostrou uma pesquisa sobre conteúdo sexual, lamentando os resultados encontrados. Segundo ele, os dados revelados deveriam ser omitidos ‘protivamente’ pelas empresas.

Já seu colega Daniel Coelho (PSDB-PE), é o subrelator para temas de honra, o que inclui a criação de perfis falsos “ou satíricos” em redes sociais. Segundo explicou durante a audiência pública desta quinta, quer saber como é possível remover do Facebook um perfil criado como Aécio Papelão, que satiriza o senador tucano.

Mas os perfis satíricos interessam a CPI de Crimes Cibernéticos em outro sentido. Já há um requerimento para a quebra do sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático de Jeferson Monteiro, o criador do perfil ‘Dilma Bolada’, e outro para que ele compareça à Comissão. Brigas políticas à parte, alguns parlamentares tentaram convencer os colegas de que é importante manter os preceitos do Marco Civil da Internet.

“Não podemos retroceder em relação às conquistas do Marco Civil,como a necessidade de ordem judicial para remoção de conteúdo, e diz isso alguém que é todos os dias alvo de ataques homofóbicos”, destacou o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). João Arruda (PMDB-PR), emendou: “Como as redes sociais vão julgar difamação ou calúnia? Esses julgamentos são perigosos e podem virar censura.”


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Dados Pessoais: advogados são reação, não prevenção aos ataques cibernéticos

Muitas empresas baseiam suas ações de adequação à LGPD à área jurídica, mas deveriam investir mais em treinamento de pessoas, afirma o country manager da Check Point para o Brasil, Claudio Bannwart. " IoT e 5G abrem o Brasil para os super ataques cibernéticos", adverte Peter Alexander, CMO da companhia.

Fraude na Internet: Um em cada cinco brasileiros já foi vítima de roubo de identidade

Pesquisa, produzida pela PSafe, projeta que 24,2 milhões de brasileiros foram potenciais vítimas de fraudes online em todo país. O telefone é o dado mais usado de forma fraudulenta, seeguido de credenciais de redes sociais.

Segurança cibernética é tecnológica, é política e é estratégica para um País

Segurança cibernética permeia todas as ações de proteção de uma empresa ou País, advertiu o diretor de relações governamentais e regulatórios da Huawei Brasil, Carlos Lauria.

Vulnerabilidade BlueKeep, no Windows, é tão perigosa quanto foi o Wanna Cry

rA recomendação urgente é a atualização dos sistemas operacionais Windows, em especial, os mais antigos como o Windows 2003, Windows Server 2008 e 2008 R2.
 



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G