TELECOM

Teles reduzem número de reclamações. Cobrança ainda é o calcanhar de aquiles

Convergência Digital* ... 15/01/2018 ... Convergência Digital

Em novembro do ano passado foi registrado um total de 263,3 mil reclamações de usuários contra prestadoras dos serviços de banda larga fixa, de telefonia móvel, de telefonia fixa e de TV por Assinatura na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), redução de 47,1 mil queixas (-15,2%) quando comparado com o mesmo mês do ano passado. A telefonia móvel apresentou queda de 27,7 mil reclamações (-17,9%), seguida da telefonia fixa com redução 13,7 mil queixas (-19,3%), da banda larga fixa com diminuição de 3,9 mil reclamações (-8,8%), e da TV por Assinatura com menos 2,3 mil queixas (-6,1%).

Na telefonia móvel e na telefonia fixa todos os grupos acompanhados individualmente pela Anatel apresentaram redução nas reclamações em novembro deste ano quando comparado com o mesmo mês de 2016. Na telefonia móvel, a Vivo com 13,4 mil reclamações a menos teve a maior redução de queixas (-32,7%), seguida pela Claro com menos 4,6 mil (-15,3%), TIM com diminuição de 3,9 mil (-7,0%), Nextel com redução de 3,3 mil (-35,1%), e Oi com menos 2,6 mil reclamações (-13,1%). Na telefonia fixa, a OI registrou 9,9 mil reclamações a menos (-25,0%), seguida da Vivo com redução de 3,6 mil (-16,8%) e da NET com menos 0,5 mil reclamações (-5,7%).

Nos grupos acompanhados individualmente pela Anatel na TV por Assinatura, a Sky com acréscimo de 1,6 mil reclamações (+13,5%) foi o único grupo que registrou aumento em novembro de 2017 em relação ao mesmo mês do ano passado. No entanto, apesar de o Grupo NET/Claro ter registrado 2,1 mil reclamações a menos (-11,5%), separadamente a NET registrou aumento de 0,4 mil queixas (3,1%) e a Claro redução de 2,5 mil reclamações (-38,6%). A Oi teve menos 1,4 mil queixas (-30,8%) e a Vivo menos 0,3 mil (-12,2%).

Na comparação entre novembro de 2017 e novembro de 2016, a NET apresentou um acréscimo de 0,8 mil reclamações na banda larga fixa (+ 12,5%). A Oi registrou queda de 4,1 mil (-20,3%) e a Vivo menos 2,5 mil queixas (-18,5%).

Reclamações por serviço

A telefonia móvel pós-paga respondeu pelo maior conjunto de queixas sendo que o ponto central foi relativo à cobrança (48,0%), seguido por reclamações relativas às ofertas e promoções (9,8%) e à qualidade, funcionamento e reparo (9,4%). Nos pré-pagos móveis, as reclamações relativas a crédito formaram o maior conjunto no mês (46,0%), ofertas e promoções ficaram em segundo (16,5%), seguidas das queixas sobre qualidade, funcionamento e reparo (13,9%).  Na telefonia fixa, cobrança formou o principal conjunto de reclamações em novembro (40,0%), seguida das de qualidade, funcionamento e reparo (21,5%) e de cancelamento (7,7%).

Na TV por Assinatura, a cobrança foi principal motivo de queixa dos usuários do serviço (46,9%), seguido de bloqueio ou suspensão (11,0%) e de ofertas e promoções (9,9%). Na banda larga fixa, qualidade, funcionamento e reparo foram os principais motivos de queixas dos usuários (46,2%), seguido de reclamações relativas à cobrança (22,8%) e à instalação ou ativação do serviço (9,5%).


Internet Móvel 3G 4G
No Brasil, 60% dos celulares já são 4G

Planos pós-pagos, incluindo os tipo 'controle', continuam ganhando terreno e terminaram o mês de abril como modelo de pagamento de 45% dos acessos móveis em serviço.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

TIM quer infraestrutura única para cidades com menos de 30 mil habitantes

Para o CTIO da operadora, Leonardo Capdeville, não faz sentido infraestruturas diferentes em localidades onde a receita é mais baixa. CEO da TIM, Pietro Labriola, fala em IoT como fonte nova de receita.

Anatel mantém pente fino na recuperação judicial da Oi

Agência vai manter o grupo de trabalho criado para acompanhar a operadora. Também quer receber dados financeiros, fluxo de caixa atual, receitas e custos e financiamentos, além de eventuais alienações. Prazo dado à Oi para passar as informações é de 60 dias.

Uma em cada cinco conexões à internet fixa acontece por fibra óptica

Em 12 meses, proporção dos acessos registrados pela Anatel que usam a tecnologia passou de 12% para 20% do total. Cabo detém outros 30%. O Brasil contabiliza 6,33 milhões de acessos em fibra óptica. ISPs mostram força e já representam 21% do market share.

Smartphones puxam demanda global por carregadores sem fio

Segundo números da consultoria IHS Markit, em 2018 foram registrados embarques de 300 milhões de smartphones com essa tecnologia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G