SEGURANÇA

Botnet contamina quase 100 roteadores por hora no Brasil

Convergência Digital ... 06/08/2018 ... Convergência Digital

Cresceu quase 20% o número de roteadores Mikrotik capturados numa botnet formada para a mineração da criptomoeda Monero, descoberta pela Trustwave. A principal particularidade dessa descoberta - ocorrida no dia 31 de julho - é que a maior parte dos dispositivos contaminados se encontra no Brasil.

Até este domingo, 05/08, o número de roteadores Mikrotik a serviço da botnet no mundo inteiro subiu de 72.187 para 85.499, ou seja, 92 dispositivos por hora. No Brasil, o crescimento foi menor, com 14%: mas o país ainda é o que conta com mais dispositivos contaminados, um total de 81.140 hoje contra 71.011 no dia 31.

O buscador Censys, que vasculha também websites, indicou no dia 31 de julho, um total de 170 mil dispositivos de todos os tipos a serviço da botnet. Mas no dia 05 de agosto aponta uma diminuição de 40% nesse total, com 105.850 pontos de contaminação. Um dos roteadores capturados atende o servidor web de um hospital, cuja identidade não foi revelada pelo pesquisador da Trustwave. A contagem foi feita pelo Cibersecurity.net.br.

A botnet está contaminada com o malware Coinhive, que escraviza dispositivos para utilizá-los na mineração da criptomoeda Monero. Não se sabe quem está por trás desta botnet. Mas ela tem o objetivo de favorecer a mineração, atividade que custa recursos de computação e também energia elétrica. Quanto mais máquinas fazendo mineração, maiores as probabilidades de lucro para quem controla a rede.

A vulnerabilidade explorada nesses dispositivos foi corrigida pela Mikrotik num patch publicado dia 23 de abril - isso aconteceu 24 horas depois da descoberta da Vul. Mas, como acontece em segurança da informação, a correção não foi aplicada por boa parte das pessoas.


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Microsoft alerta para risco de novo ataque como WannaCry

“A vunerabilidade é ‘wormable’, o que significa que qualquer futuro malware que a explore pode propagar de um computador para outro de forma similar ao que vimos em 2017”, explica o diretor de resposta a incidentes da MS, Simon Pope.

Oi: cidades conectadas exigem um ecossistema que converse entre si

O momento é mais do que propício para as soluções de videomonitoramento, com a segurança como carro-chefe, mas o mercado precisa entender que soluções 'isoladas' prejudicam a massificação do conceito, diz o diretor da Oi, André Ituassu.

Unisys: Transformação digital amplia papel da cibersegurança

Ao abrir o acesso por multicanais e dar maior transparência aos seus serviços, por conta da jornada digital, governo e empresas reforçam a preocupação com o compliance, observa o vice-presidente de Tecnologia da Unisys na América Latina, Marcel Valverde. Sobre a Lei de Dados Pessoais, o executivo é taxativo: "Vai exigir um grande esforço de adequação".

Dados Pessoais: Empresas abrem mão da análise de risco e erram feio na estratégia

Ataques malware explodem e País ganha destaque global como hospedeiro para ataques botnets, revela o diretor geral da SonicWaal do Brasil, Arley Brogiato.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G