SEGURANÇA

Empresas de biometria rebatem Ministério Público

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/08/2018 ... Convergência Digital

Alvos de um inquérito da comissão de dados pessoais do Ministério Público do Distrito Federal, empresas que atuam no ramo de segurança biométrica rejeitam irregularidades, alegam que as informações são fornecidas pelos próprios titulares e que não há compartilhamento de dados com bases governamentais.

“Todas as informações inseridas no banco de dados são fornecidas diretamente pelo titular quando este faz o seu cadastro em um dos nossos clientes. A CredDefense não compra bases de terceiros, e não usa dados fornecidos por qualquer órgão da administração pública direta ou indiretamente”, informou a empresa ao Convergência Digital.

Também investigada, a Certibio-Certisign explica que não há uso direto da base de dados do Serpro, como sugere a Portaria da comissão que justifica o inquérito, cujo objetivo expresso é “investigar a criação e o uso de bancos de dados biométricos (Reconhecimento Facial) para fins comerciais, bem como o funcionamento dos algoritmos”.

“A Certibio esclarece que coleta a biometria do individuo, mediante o seu consentimento, e a envia ao serviço Datavalid do Serpro, que retorna na forma de um percentual de similaridade (anonimizado). A Certibio não acessa, armazena ou compartilha qualquer dado proveniente de banco de dados governamentais”, diz a empresa.

O MPDFT se baseou em relatos sobre o modelo de negócios das duas empresas, além da Acesso Digital, e indica ser necessário investigar eventual risco de discriminação com o uso de leituras biométricas informatizadas. Um dos destaques, porém, foi a menção ao uso da base de dados gerida pelo Serpro com as carteiras de motorista dos brasileiros.

As empresas ressaltam que atuam na prevenção de fraudes de falsidade ideológica e que os dados são criptografados e armazenados de forma segura, inclusive já de acordo com pressupostos da novíssima Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Crimes na Web: Formjacking vira pesadelo para empresas e muito lucrativo para hackers

Levantamento da Symantec aponta ainda  que oito em cada dez infecções por ransomware acontecem em corporações.

Câmara derruba lei do governo Bolsonaro que aumentou sigilo de dados públicos

O Plenário da Câmara aprovou o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 3/19, que suspende os efeitos do Decreto 9.690/19. A matéria irá ao Senado.

Mais de 30% das empresas brasileiras admitem não proteger dados de clientes e funcionários

Levantamento DT Index II, da Dell e da Intel, mostra quase metade dos entrevistados temem pelo futuro de suas companhias nos próximos cinco anos.

Crimes cibernéticos: crimes de ódio aumentaram quase 30%, mas pornografia ainda lidera no Brasil

Eleições exarcebaram os crimes de ódio em todo o país, afirma o Grupo de Apoio sobre Criminalidade Cibernética, do Ministério Público Federal.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G