GOVERNO » Compras Governamentais

TCU mantém revisão de contratos de TI por conta da desoneração da folha

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/11/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União negou um recurso apresentado pela Brasscom e manteve decisão anterior que determina a repactuação de preços de contratos de serviços de tecnologia da informação contratados pela administração federal por conta da redução tributária promovida pela desoneração da folha de pagamento do setor.

As empresas de TI alegaram que o governo acabou por conceder um benefício a si mesmo quando, por consequência da política de substituição da contribuição previdenciária por um percentual da receita buscou a renegociação dos contratos tendo em vista a redução de custos em encargos trabalhistas. Além de indicar a frustração de receitas legitimamente previstas diante dos valores inicialmente contratados.

Os ministros do TCU, no entanto, acompanharam o entendimento do relator Aroldo Cedraz, de que a repactuação buscada por órgãos da administração federal em contratos de TI é legalmente prevista e já tinha sido medida defendida pela própria Corte de Contas.

“As empresas abrangidas pela desoneração da folha de pagamento prevista naquela lei [12.456/11], ao contratar com a Administração Pública, continuam submetidas a todas as regras aplicáveis a esse tipo de contratação, notadamente a exigência de apresentação de orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição de todos os seus custos unitários e a da revisão dos preços contratados, quando sofrerem comprovada repercussão por causa de alteração tributária”, apontou o relator.

“Portanto, a desoneração da folha de pagamento promovida pela Lei 12.546/2011, que implicou alterações na cobrança da contribuição previdenciária das empresas por ela abrangidas, é motivo para a repactuação dos preços dos contratos celebrados entre essas empresas e a Administração Pública”, concluiu, sendo acompanhado pelos demais ministros no que se tornou o Acórdão 2572/18.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

MCTI e MCom vão compartilhar orçamento até 2021

Portaria interministerial foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. Até junho de 2021, os recursos serão compartilhados e será criado um Centro de Custos para a divisão dos gastos entre os dois ministérios, até a definição do orçamento de 2021.

TICs ganham fôlego com retirada do pedido de urgência da reforma tributária

Decisão agrada as empresas de software e serviços e ao mercado de telecomunicações. Isso porque a proposta de unificação do PIS e da Cofins, com elevação da alíquota para 12%, seria prejudicial para o setor, que pagaria ainda mais imposto.

Governo restringe o que ministros e secretários podem falar sobre estatais

Decreto altera o Código de Conduta da Alta Administração Federal para vedar divulgação de “informação que possa causar impacto” nas ações ou relações com consumidores, mercado e fornecedores. 

Consulta sobre estratégia nacional de propriedade intelectual é prorrogada até 13 de setembro

Proposta aborda uso da PI na competitividade e disseminação do conhecimento, além da governança institucional, marcos legais, segurança jurídica, inteligência e a inserção do Brasil no sistema global.

Telebras corta previsão de receita em mais R$ 50 milhões

Estimativa no começo do ano era de uma receita operacional - mesmo tendo passado a ser uma estatal dependente do orçamento fiscal - de R$ 383,64 milhões. Agora, a estatal reduz o valor R$ 330,62 milhões.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G