SEGURANÇA

Câmara derruba lei do governo Bolsonaro que aumentou sigilo de dados públicos

Ana Paula Lobo* ... 19/02/2019 ... Convergência Digital

O Governo Bolsonaro sofreu um revés pesado no Congresso Nacional. Nesta terça-feira, 19/02, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 3/19, do deputado Aliel Machado (PSB-PR) e outros. Esse projeto suspende os efeitos do Decreto 9.690/19, o qual atribui a outras autoridades, inclusive ocupantes de cargos comissionados, a competência para classificação de informações públicas nos graus de sigilo ultrassecreto ou secreto. A matéria, agora, irá ao Senado.

Até então, a classificação de informações públicas como ultrassecretas era exclusiva do presidente e do vice-presidente da República, ministros e autoridades equivalentes, comandantes das Forças Armadas e chefes de missões diplomáticas no exterior. Quanto ao grau secreto, além dessas autoridades, podem usar essa classificação os titulares de autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista.

A medida acabou sendo endosssada pela Agência Brasileira de Inteligência, ABIN, que por portaria delegou  competência de classificação de informações nos graus ultrassecreto e secreto do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República para autoridades da Agência Brasileira de Inteligência.

Pela portaria, apenas o Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência poderá definir se o dado é ultrassecreto, ou seja, se ficará em segredo por 25 anos como determina a LAI. Mas abre frentes para que o Diretor-Adjunto da Agência Brasileira de Inteligência; o Secretário de Planejamento e Gestão da Agência Brasileira de Inteligência; e os Diretores das unidades da Agência Brasileira de Inteligência, ocupantes de cargo em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores - DAS 101.5, possam classificar os dados públicos como secretos, ou seja que eles fiquem em segredo por 15 anos. fe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República para autoridades da Agência Brasileira de Inteligência.

A decisão do Governo Bolsonaro foi contestada pela Procuradoria da Defesa do Cidadão (PFDC), órgão ligado ao Ministério Público Federal, que encaminhou à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, representação solicitando que seja analisada a possibilidade de se apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de inconstitucionalidade do Decreto nº 9.690/2019, no trecho em que altera os §§ 1º a 4º da Lei de Acesso à Informação.

Na representação à PGR, a Procuradoria propõe que, diante dos argumentos apresentados, também seja analisada a inconstitucionalidade da Portaria nº 17, publicada em 4 de fevereiro de 2019 e assinada pelo ministro Augusto Heleno Ribeiro Pereira. A normativa delega competência de classificação de informações nos graus ultrassecreto e secreto do ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República para autoridades da Agência Brasileira de Inteligência, a Abin.

*Com informações da Câmara dos Deputados


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Microsoft alerta para risco de novo ataque como WannaCry

“A vunerabilidade é ‘wormable’, o que significa que qualquer futuro malware que a explore pode propagar de um computador para outro de forma similar ao que vimos em 2017”, explica o diretor de resposta a incidentes da MS, Simon Pope.

Unisys: Transformação digital amplia papel da cibersegurança

Ao abrir o acesso por multicanais e dar maior transparência aos seus serviços, por conta da jornada digital, governo e empresas reforçam a preocupação com o compliance, observa o vice-presidente de Tecnologia da Unisys na América Latina, Marcel Valverde. Sobre a Lei de Dados Pessoais, o executivo é taxativo: "Vai exigir um grande esforço de adequação".

Dados Pessoais: Empresas abrem mão da análise de risco e erram feio na estratégia

Ataques malware explodem e País ganha destaque global como hospedeiro para ataques botnets, revela o diretor geral da SonicWaal do Brasil, Arley Brogiato.

Segurança da Informação segue muito baixa nos órgãos do Governo

O coordenador geral de contratações de TICs do ministério da Economia, Silvio Lima, admite que é preciso acelerar a capacitação das equipes. "O governo digital vai aumentar exponencialmente a base de dados nas nossas mãos". Consequência da baixa maturidade foi a decisão de não comprar por serviço na área.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G