Home - Convergência Digital

Celulares dobráveis dão respiro esperado à indústria de smartphones

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 07/03/2019

Os celulares dobráveis, como MATE X, apresentado pela Huawei, no Mobile World Congress, em Barcelona, foram o passo de inovação esperado para os smartphones, observa o analista de dispositivos móveis da IDC América Latina, Ricardo Mendoza. Mas há ainda pontos a serem superados, entre els, as próprias possibilidades de uso e o alto custo.

"Grande parte da superfície do celular dobrável é formada pela tela, componente mais sensível do equipamento e suscetível a quebra”, explica o analista. “A principal aposta das marcas com esses telefones dobráveis está no consumo de conteúdo em streaming e para jogos digitais, ambos acompanhados de conectividade (4G, 4,5G, 5G)”, acrescenta Mendoza.

No Brasil, O MATE X deve ficar disponível para testes das operadoras já em abril, mas a comercialização só deve acontecer no começo de 2020, segundo explicou o diretor executivo de Business Network Consulting da fornecedora chinesa para a América Latina, Guillermo Solomón. O MATE X já será compatível 5G e estará apto a funcionar na faixa de 3,5GHz, a primeira a ser leiloada no Brasil - a disputa está agendada pela Anatel para março de 2020. Com relação ao custo, o preço será bastante salgado - na Europa custará mais de 2 mil euros, ou algo em torno de R$ 10 mil no Brasil.

Para a IDC Latin America, os smartphones dobráveis também devem se adaptar a uma economia de escala; ou seja, pode-se considerar que o custo atual está relacionado à sua recente chegada no mercado, embora um smartphone com tela maior sempre implicará em um custo final maior. “Aliado ao 'boom' das telas, recursos biométricos também estão sendo implementados para garantir a segurança do equipamento e para proteger os dados do usuário, que é um problema atual e também será no futuro”, afirma Mendoza.

Para o analista da IDC, atualmente a inteligência artificial está focada nas câmeras (captura de imagens) e na bateria, mas está se dirigindo para o comportamento de uso do usuário. Saber quais aplicativos são usados e sua frequência, para conseguir prever e ajudar o usuario, é uma tendência que deve se desenvolver em maior escala até 2020.

A realidade virtual está ganhando força, não apenas em equipamentos premium, mas em dispositivos de custo médio, acrescenta o especialista da IDC. “As funções criativas dos smartphones fazem deles um instrumento diferente e permitem passar do mundo físico para o mundo virtual e vice-versa", conclui Mendoza.

*Com informações da IDC América Latina









Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/05/2019
Huawei: 'lista negra' dos EUA infringe direitos e levanta sérias questões legais

14/05/2019
Huawei acena com acordos anti-espionagem para evitar banimentos

08/05/2019
Huawei Enterprise reformula estratégia corporativa no Brasil

26/04/2019
Testes para mitigar interferências do 5G na faixa de 3,5GHz entram na reta final

26/04/2019
Huawei traz gêmeos digitais para acelerar redes 5G

26/04/2019
4G e 5G são convergentes e vão coexistir na oferta de serviços

25/04/2019
Para a Huawei, América Latina está pronta para o 5G

25/04/2019
5G só será adotado de forma massiva na América Latina a partir de 2022

05/04/2019
UIT sai em defesa da Huawei e diz que entidade decide padrão 5G em outubro

01/04/2019
Inteligência emocional faz a diferença na escolha do profissional de TIC

Destaques
Destaques

Com 5G, Internet das coisas entra no radar dos bancos no Brasil

Muitas instituições financeiras estão com a área de inovação trabalhando para entender como usar a Internet das Coisas em seus serviços, diz o diretor de Tecnologia da Federação Brasileira de Bancos, Febraban, Gustavo Fosse.

País ativa 2 milhões de chips 4G por mês

Primeiro trimestre do ano terminou com 136 milhões de acessos LTE ativos, ou praticamente 60% dos celulares em serviço.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site