Home - Convergência Digital

Contribuição sindical: Governo exige boleto bancário. Sindicatos pregam desobediência civil

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 07/03/2019

A contribuição dos trabalhadores para os sindicatos, que deixou de ser obrigatória desde novembro de 2017 com a entrada em vigor da nova lei trabalhista (Lei 13.467), só poderá ser realizada por meio de boleto bancário ou equivalente eletrônico. A Medida Provisória 873, publicada no Diário Oficial da União (DOU)  na última sexta-feira (1º), também proíbe o desconto, relativo a um dia de trabalho, diretamente na folha de pagamento do empregado. O texto vale imediatamente, mas precisa ser aprovado pelo Congresso em até 120 dias para se tornar lei.

Segundo o ministério da Economia, o "objetivo da Medida Provisória é esclarecer a natureza facultativa da contribuição sindical e reestabelecer o direito dos trabalhadores, que precisam manifestar a vontade de contribuir por meio de autorização prévia, individual e por escrito. A medida também anula regras ou cláusulas normativas que fixam a compulsoriedade ou a obrigatoriedade de recolhimento a empregados ou empregadores, ainda que referendadas por negociação coletiva, assembleia geral ou outro meio previsto no estatuto da entidade".

De acordo com a MP, o boleto bancário será encaminhado à residência do empregado ou, na hipótese de impossibilidade de recebimento, à sede da empresa. Caso o trabalhador não tenha autorizado o desconto, o envio do boleto é proibido. A reação dos trabalhadores foi imediata. A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) classificou a MP 873/2019 como "amadora e rudimentar" e pregou a desobediência civil e judiciária.

Por meio de nota oficial, divulgada nesta quarta-feira, 06/03, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) diz que a MP possui "inúmeras inconstitucionalidades e inconvencionalidades" e, por isso, "conclama seus sindicatos filiados e os membros do judiciário a defender a Constituição brasileira e a promover a desobediência civil". De acordo com a entidade, "não há como respeitar ou levar em consideração uma medida provisória tão rudimentar e amadora, que ataca frontalmente a Constituição Pátria, a democracia, a sociedade e o Congresso Nacional".

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/03/2019
OAB vai ao STF e questiona MP que acaba com desconto sindical na folha

07/03/2019
Contribuição sindical: Governo exige boleto bancário. Sindicatos pregam desobediência civil

19/02/2019
Câmara derruba lei do governo Bolsonaro que aumentou sigilo de dados públicos

14/02/2019
Servidores da Dataprev fazem abaixo-assinado contra privatização

13/02/2019
Ministério da Economia: Serpro e Dataprev serão vendidas ou fechadas

11/02/2019
Procuradoria do MP: Mexer na Lei de Acesso de Informação é inconstitucional

06/02/2019
Diretores da ABIN estão autorizados a classificar dados públicos como secretos

05/02/2019
Governo extrapolou o poder ao alterar a Lei de Acesso à Informação

04/02/2019
Por defesa cibernética, governo terá requisitos para Internet das coisas

31/01/2019
Dataprev cria programa de demissão voluntária e aumenta rumor de extinção ou privatização

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

STF anula decisão do TST e reforça valor legal da terceirização

Decisão aconteceu em uma ação de uma atendente contratada pela Contax, prestadora de serviços de call center, para atuar como terceirizada na Telemar Norte Leste.

Mais de 60% dos brasileiros estão infelizes, mas têm medo de mudar de emprego

Estudo da Brands2Life, com o LinkedIn, traz um dado assustador: 80% dos brasileiros não se candidata para a vaga de trabalho que gostaria. Cerca de um terço dos profissionais deixa de se candidatar a uma nova vaga por falta de confiança na sua própria capacidade.

Serviços de TI e de Telecom podem ser 100% terceirizados no Governo Federal

Também foi incluída na lista divulgada pelo governo Federal o serviço de teleatendimento. Decisão está publicada na portaria 443/2018.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site