INOVAÇÃO

Inteligência artificial ética está longe de ser algo simples

Por Roberta Prescott* ... 13/03/2019 ... Convergência Digital

O uso ético de inteligência artificial e do aprendizado de máquina (machine learning), evitando um viés preconceituoso é um dos desafios que as companhias têm — e está longe de ser algo simples, sinalizou o chief analytics officer da Fico, Scott Zoldi, que está em São Paulo para o FICO Forum São Paulo, que acontece nesta quarta-feira 13/03. Em palestra, o evangelista dedicou boa parte do tempo para explicar sobre os perigos que a modulação dos dados pode levar a interpretações equivocadas.

"Com machine learning é difícil assegurar que a máquina não vai discriminar. Não podemos ser cegos com relação as características e ignorar raça no desenvolvimento de modelos de negócios. Há, sim, a possibilidade de se ter um viés preconceituoso. Na verdade, é preciso alinhar os modelos de subpopulação através do escalonamento de probabilidades de logs", observou.

Zoldi, que trabalha na FICO há 19 anos e é autor de 96 patentes, sendo 45 já asseguradas e 51 em processo, destacou o fato de machine learning figurar no pico do hypecycle do Gartner, mas explicou que as expectativas infladas podem apressar o uso de aprendizado de máquina sem o real entendimento de suas ramificações. "No momento, todos estão animados e isto é ótimo, mas implantar machine learning é difícil e requer precaução, já que há diversos problemas com interferência erradas", insistiu.

Os modelos de aprendizado de máquina, segundo Zoldi, precisam ser interpretáveis. "Remoção de viés é importante para uma inteligência artificial ética. Também é preciso entender que a cobertura de dados é crítica em todos os grupos. A capacidade de reforçar a palatabilidade, a monotonicidade e a engenharia podem ajudar a lidar com vieses preconceituosos. E novas redes neurais de recursos latentes interpretáveis expõem a relação de direcionamento da análise de dados", completou.

Confira a entrevista exclusiva com o chief analytics officer da Fico, Scott Zoldi.


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Ministério da Economia quer privatizar o financiamento à inovação

Além das empresas estatais de TICs como Serpro, Dataprev, Telebras e Ceitec, lista da secretaria de desestatizações , comandada por Salim Mattar, inclui a Finep, agência de fomento do MCTIC, e o próprio BNDES.

Com mais IA, biometria e big data, CNH Digital pula de 3 mil emissões/dia para 18 mil/dia

O cruzamento de dados biográficos e biométricos deu resultado e governo federal quer uma plataforma multicanal para atender a demanda de serviços digitais, revela o secretário de governo digital, Luiz Felipe Monteiro. Algoritmos também ganham destaque.

Rede GoB2B quer ser a plataforma de negócios global do Brasil

Empresa responsável pela criação da iniciativa reuniu um banco de dados com mais de 700 mil normas que permite uma companhia brasileira negociar, via rede, com qualquer outra global, sem intermediários apenas pela descrição do produto procurado, conta o dono da patente, Pierre Grossmann.

PwC: Brasil entra na segunda onda dos carros autônomos

Estudo da consultoria,publicado pelo site Autos Giros, mostra que o automóvel está deixando de ser uma propriedade para se tornar ‘apenas’ um veículo para a mobilidade. Mudança estrutural imposta pela tecnologia determina estratégias ousadas.

BNDES dobra financiamento e chega a R$ 30 milhões para projetos de Internet das Coisas

Investimentos somam R$ 88 milhões e vão viabilizar 15 projetos-piloto, tocados por 11 instituições, nas áreas de saúde, rural e cidades inteligentes.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G