INCLUSÃO DIGITAL

Empresas de TI querem que sobras da TV Digital conectem as áreas rurais

Luís Osvaldo Grossmann ... 28/03/2019 ... Convergência Digital

A transformação digital da agricultura é fundamental para que o Brasil mantenha seu protagonismo mundial no setor. Com esse entendimento, a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, Brasscom, está angariando apoio a um conjunto de medidas por uma ‘Agricultura Digital, Conectada e Inovadora’, que reúnem três projetos de lei e uma decisão administrativa com o condão de turbinar a internet das coisas no campo.

Em um documento ao Ministério da Agricultura e à Frente Parlamentar do Agronegócio, a entidade destaca a revisão do marco legal de telecom, a redução a zero do Fistel e uma política para a agricultura de precisão. E acrescenta ao rol a destinação dos R$ 877 milhões estimados como sobras do processo de transição da TV Digital e limpeza da faixa de 700 MHz.

“O Brasil precisa priorizar a adoção de medidas regulatórias e fiscais relevantes, tais como a modernização da Lei Geral de Telecomunicações, a revisão do fardo fiscal e regulatório para dispositivos de Internet das Coisas e a instituição de marco regulatório indutor para a agricultura de precisão”, aponta o documento da Brasscom, que costura a adesão de outras entidades à proposta.

Como lembra a Brasscom, em 2018 foram investidos R$ 210 milhões em soluções de Internet das Coisas na agricultura brasileira, principalmente em marcação de animais (73%), rastreabilidade de alimentos (16%), manutenção (5%) e monitoramento (4%). Mas esse valor deve saltar para R$ 1,3 bilhão entre 2019 e 2021, conforme o crescimento anual estimado pela IDC próximo a 40%.

É de olho no potencial brasileiro que a entidade aponta para medidas importantes. “É fundamental que o Senado Federal conclua a votação do Projeto de Lei da Câmara 79/2016”, insiste a Brasscom. “As mudanças possibilitam a priorização de investimentos em conectividade digital, algo urgente diante da nova realidade tecnológica em que a telefonia fixa deixa de ser o meio fundamental de comunicação”.

Também entende “fundamental a aprovação do Projeto de Lei no 7.656/17”, que zera o Fistel, contribuição para radiodifusão pública e Condecine nos dispositivos da internet das coisas. Completa a lista legislativa o projeto de lei 355/19, que institui a Política Nacional de Agricultura de Precisão e instrumentos de capacitação e formação profissional.

Fora do Congresso, a outra medida depende da vontade do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mas com a palavra final sendo da Anatel. Trata-se da proposta de direcionar as sobras da TV Digital para a conectividade do campo.

“A transformação digital da agricultura brasileira pode se beneficiar de medidas de curto prazo a partir de recursos que sobraram do processo de conversão da TV analógica em TV digital. Dos R$ 3,6 bilhões levantados, estima-se que cerca de R$ 877 milhões ainda estejam disponíveis (algumas estimativas apontam para uma sobra de R$ 1 bilhão). Tais valores podem ser, à conveniência das autoridades, direcionados para a ampliação imediata da conectividade no campo com impactos de curto prazo para a disseminação de ofertas de IoT no campo.”

Como possíveis medidas adicionais, a Brasscom “conclama ao Poder Executivo para que edite com a máxima celeridade o decreto de Internet das Coisas”. Para a entidade, o plano harmoniza conceitos e garante segurança juridical para investimentos. Finalmente, a entidade defende que o governo retome discussões relacionadas ao Plano Nacional de Conectividade.

Leia a íntegra do documento
(Arquivo PDF - 4 MB)

Carreira
Graduação em Ciências de Dados terá 2610 horas

Curso será ofertado pela Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV EMAp), no Rio de Janeiro. São 2610 horas de aulas. Inscrições vão até o dia 08 de outubro.

Audima cria ferramenta para levar conteúdo aos analfabetos digitais

A partir da própria dor, uma vez que tem dislexia, Paula Pedrosa criou a Audima, uma startup que transforma palavras em áudios. "O império da visão exclui muita gente. Nosso desafio, hoje, é mostrar que inclusão monetiza", observa a executiva.

Anatel quer saber se há interesse em investir em satélites no Brasil

Consulta pública sobre o tema recebe contribuições até 7 de setembro. Ideia é saber se há empresas que queiram prover serviço ininterrupto de capacidade satelital por cinco anos a partir de 1 de janeiro de 2021.

Sem rede e velocidade de conexão, escola rural padece para acessar à Internet

Apenas 34% das escolas possuem ao menos um computador com acesso à internet e a velocidade de conexão é baixa para permitir uso pedagógico, na faixa de 2 Mbps, revela a pesquisa TIC Educação 2018, do CGI.br.

Anatel quer BNDES como agente financeiro para usar FUST na expansão da banda larga

Agência reguladora aprovou o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações, o PERT. De acordo com a Anatel, 3.542 dos 5.570 municípios do país não possuem acesso à rede de fibra óptica. Agência também diz que dos R$ 20 bilhões do FUST, apenas R$ 200 mil foram aplicados no setor.

Acesso à Internet reproduz desigualdade social e econômica no Brasil

Estudo do IPEA mostra que a falta de acesso à internet repete as mesmas adversidades e exclusões já verificadas na sociedade brasileira no que tange a analfabetos, menos escolarizados, negros, população indígena e desempregados.  Homens e mulheres têm comportamento semelhantes na Web.

Google Station é plataforma de monetização para Programa WiFi Livre SP

Empresa firmou parceria com América Net e Linktel, com patrocínio do Itaú, e já conta com 80 hotspots distribuídos na capital de São Paulo.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G