Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis

Ana Paula Lobo ... 29/03/2019 ... Convergência Digital

Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis da franquia contratada junto a operadora, o que significa perder dinheiro ao final do mês, informa o analista Sênior do Ericsson Consumer & Industry Lab, André Gualda. Em entrevista ao portal Convergência Digital, o especialista revela que, por ano, o usuário médio brasileiro deixa de usar 14,4 gigabytes de dados contratados.

"Isso significa usar streaming de música por 245 horas; ou assistir três temporadas de Games of Thrones, entre outras situações. É muito dado jogado fora. O momento é o de repensar e passar usar o gigabyte como moeda em uma relação transparente com a operadora. As pessoas contratam dados ilimitados para ter paz de espírito e não correr risco de ficar sem Internet. O jogo não pode ser esse. O usuário tem de pagar pelo que consome e o preço justo",ressalta Gualda.

Pesquisa recente feita pelo ConsumerLab da Ericsson com 14 mil usuários, entre eles consumidores do Brasil, mostra que os usuários consideram os serviços das operadoras complexos e complicados de entender. No Brasil, observa Gualda, dois em cada três usuários de smartphones entrevistados disseram não entender o plano de dados contratado tampouco como acontece a contabilidade do consumo de dados.

"Os consumidores querem um modelo mais intuitivo, mais simples. O 5G está chegando e é a grande oportunidade de as operadoras darem a virada necessária para recuperarem o engajamento com os seus consumidores", destaca Gualda. O estudo da Ericsson mostra ainda que segue a percepção do consumidor que celular é caro e o Wi-Fi é de graça.

"No Brasil, mesmo com plano ilimitado de dados da operadora móvel, o consumo de Wi-Fi não muda. Um usuário brasileiro médio gasta cerca de 5 gigabytes ne rede celular e usa 25 gigabytes em rede Wi-Fi, abordagem bastante semelhante à de vários países no mundo", salienta Gualda.

Neste momento, o ConsumerLab está desenvolvendo a maior pesquisa sobre 5G do mundo- estão sendo ouvidos24 países, entre eles o Brasil, para entender os diferentes modelos de negócios possíveis para a nova tecnologia. O estudo deverá ser divulgado mundialmente no final de abril.

Em maio, antecipa Gualda, será divulgada uma análise exclusiva do cenário para o Brasil. "O 5G chegou para mudar tudo. É a chance de a operadora retomar a relevância junto ao seu usuário. Hoje todo mundo é relevante, fabricante de smartphone, OTTs, e as operadoras não são citadas e são elas que constroem a infraestrutura. São elas que viabilizam os serviços", completa o analista da Ericsson.


Internet Móvel 3G 4G
TIM ativa piloto de banda larga fixa com 5G DSS

Primeiros 300 clientes iniciaram testes da tecnologia em Bento Gonçalves (RS), Três Lagoas (MS) e Itajubá (MG). Operadora está entregando os equipamentos em comodato para os testes.

Anatel flexibiliza regras para as MVNOs

Em especial, agência passa a permitir que operadoras virtuais possam fazer contratos com mais de uma prestadora na mesma área de registro. 

Carlos Baigorri toma posse no Conselho Diretor da Anatel

Em cerimônia no Ministério das Comunicações, o novo conselheiro afirmou que "a Anatel tem diversos desafios para o ano que vem, como o leilão de 5G, e temos que garantir que a conectividade chegar a todos rincões do País, com qualidade e a preços acessíveis à população para que todos os brasileiros possam exercer a sua cidadania”.

Feninfra diz que sem desoneração da folha país perde R$ 2 bilhões e 500 mil empregos em Telecom

Segundo a presidente da entidade, Vivien Suruagy, caso o Congresso não derrube o veto de Bolsonaro à medida, haverá um "apagão de tecnologia" no país.

STJ confirma condenação da Telefônica por falta de cartões telefônicos

Multa estipulada foi de R$ 3 milhões, por conta da não venda de cartões indutivos de 20 unidades. Condenação da operadora foi mantida pela 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G