Home - Convergência Digital

5G é o empurrão que falta para a realidade aumentada explodir no varejo

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 04/04/2019

A realidade aumentada (AR) e a realidade virtual (VR) têm potencial para sacudir a experiência dos consumidores, individualizando as ofertas dos varejistas e permitindo que os clientes visualizem os produtos em diferentes configurações. Até 2020, mais de 100 milhões de consumidores irão comprar em lojas on-line baseadas em Realidade Aumentada, observou o Gartner. Mas para isso há uma questão essencial: as novas redes 5G precisam estar operacionais.

“Os varejistas estão diante de uma crescente pressão para explicar o propósito das lojas físicas e assumir o controle do processo de atendimento e entrega de pedidos diante das novas estratégias multicanais”, diz Hanna Karki, analista do Gartner. “Ao mesmo tempo, os consumidores estão definindo progressivamente o valor fornecido pelas experiências que recebem dos varejistas. Como resultado dessas pressões, os varejistas estão se voltando para soluções de AR e VR para oferecer aos clientes uma experiência de varejo unificada dentro e fora de suas lojas”.

Pesquisas do Gartner indicam que 46% dos varejistas planejavam implantar, até 2020, sistemas AR ou VR para atender aos requisitos de experiência de atendimento ao cliente. Além disso, as tecnologias por trás dessas soluções avançaram de 15% a 30%, ao longo do Gartner Hype Cycle, nos últimos 12 meses. “O impacto da Realidade Aumentada ou da Realidade Virtual no varejo pode ser transformador”, afirma Hanna.

Com as interfaces imersivas de RV, por sua vez, os varejistas podem criar processos mais eficientes ou reduzir os custos associados ao design de novos produtos. Eles também podem aprimorar a compreensão das informações por meio de tecnologias avançadas de visualização gráfica e simulação. Atualmente, entre os projetos pilotos e exemplos de implementação podemos citar a experiência completa de compras da Alibaba, os passeios de realidade virtual da Tesco, os vídeos da Adidas para promover sua coleção de roupas para atividades ao ar livre e a parceria da eBay com a Myer para criar lojas personalizadas.

Mas essa evolução é dependente do desembarque do 5G. O Gartner sustenta que a nova tecnologia móvel será a condutora de novas receitas para varejo. Não por acaso, pesquisas da consultoria indicam que 66% das empresas pretendem usar 5G até 2020. As organizações esperam que as redes 5G sejam usadas principalmente para comunicações e vídeos, incluindo aplicações de Internet das Coisas (IoT) e sistemas para aumento de eficiência operacional.

Os analistas do Gartner estimam que os aplicativos de Realidade Aumentada e Realidade Virtual já preparados para as novas redes 5G irão se tornam grandes condutores de novas receitas, em todos os casos de uso. Os recursos 5G podem suportar vários modelos de utilização, melhorando as condições para renderização em tempo real para vídeo imersivo, otimização dos tempos de download e configuração e extensão de marcas e experiências de compra além das lojas físicas. "O Gartner espera que a implementação das aplicações de 5G e AR / VR nas lojas transformará não apenas o envolvimento do cliente, mas também todo o ciclo de gerenciamento de produtos das marcas", diz Sylvain Fabre, Diretor de Pesquisa Sênior do Gartner. "O 5G pode otimizar recursos, aprimorar a análise do tráfego da loja e ativar pontos de rede que se comunicam com os smartphones dos compradores".

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

26/06/2019
Florianópolis quer ser cidade laboratório do 5G no Brasil

26/06/2019
TIM faz piloto de 5G em 'rede viva' em Florianópolis

26/06/2019
Governo de Brasília retoma Parque Tecnológico com laboratório de 5G e incubadora

26/06/2019
TIM faz piloto de 5G em 'rede viva' em Florianópolis

24/06/2019
Huawei: "Vamos manter os altos investimentos em 5G"

12/06/2019
Ericsson: adoção do 5G será ainda mais rápida do que foi a do 4G

10/06/2019
Tratores autonômos são a realidade do agronegócio com o 5G

07/06/2019
GSMA: Sem os chineses, custo do 5G na Europa vai crescer US$ 62 bilhões

06/06/2019
Bloqueada nos EUA, Huawei anuncia acordo com a Rússia para 5G

06/06/2019
5G será o último 'G', decreta Vodafone

Destaques
Destaques

Para injetar R$ 200 bilhões na economia, IoT tem de ficar livre das amarras tributárias

Relator da proposta de tributo zero para Internet das Coisas, deputado Eduardo Cury, do PSDB/SP, disse que o setor precisa municiar o Parlamento com dados para convencer à Casa a conceder a desoneração.

5G exige muito espectro para entregar tudo que se espera da tecnologia

Anatel, indústria e teles sustentam que a nova onda tecnológica só vai atender as demandas esperadas se tiver frequência suficiente para melhorar os serviços.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site