GESTÃO

Aneel implanta curadoria e quer simplificar o ‘informatiquês’ para a LGPD

Luis Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 22/04/2019 ... Convergência Digital

As agências reguladoras exercem um duplo papel na implementação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. É que além da preparação interna, elas precisam conhecer o impacto da nova legislação sobre os agentes regulados, a começar pela absorção de novos custos.

“Há duas visões que convergem. Uma interna, da TI corporativa, e a de regulação setorial. Ou seja, atender o usuário interno e também como consultor sobre como trato o regulado na segurança cibernética”, avalia o superintendente de gestão técnica da informação da Aneel, Victor Hugo Rosa.

Ao participar da mesa redonda sobre o impacto da segurança da informação nos negócios das empresas e nas instituições governamentais, realizada pelo portal Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC, em Brasília, fala que a agência reguladora do setor elétrico está implantando uma curadoria de dados.

“Na curadoria de dados a responsabilidade está na área fim. A área fim tem que entender o que afeta, o que bate na LGPD, o que tem de dado pessoal que precisa ter cuidado. Então, muito se resolve com a parceria da área de negócios com a TI”, observa Victor Hugo Rosa. O maior aprendizado, acredita, é para poder orientar os regulados.

“Temos pessoas nas áreas de regulação que já estão com formação, colegas em regulação e fiscalização que fizeram especialização em segurança cibernética e disciplinas da TI para ter o pessoal qualificado para entender o ‘informatiquês’. Na hora de fazer uma regulação ou de entender o pleito do agente. Porque o agente regulado vem chorar todo o custo que ele vai ter que carregar no negócio para atender os requisitos da legislação.” Assistam a participação do superintendente de gestão técnica de informação da Aneel, Victor Hugo Rosa.


Fóton: solução web transforma ATM tradicional em tótens de atendimento

“Além da flexibilidade em experiência, customização e interação com periféricos, software corta custos”, afirma o gerente de Projetos da Fóton, Thiago Farias. Um dos primeiros usuários da solução é o Banco da Amazônia.

Transformação ágil é condição de sobrevivência para empresas

“Não tem como, hoje, não se preocupar se o operacional, se o modelo de trabalho está realmente sendo enxuto e extremamente eficiente”, afirma o diretor de Cultura e Transformação Ágil da BRQ, Thyago Rebelato.

Omnichanel: bancos vivem a 'dor' da integração dos canais digitais aos físicos

A maneira de consumir serviços financeiros mudou radicalmente com as plataformas digitais e, hoje, a resolução das ocorrências e a empatia ganham prioridade no modelo de atendimento ao correntista, afirma o diretor Executivo da Embratel, Antonio João Filho.

Correntistas 100% digitais desafiam atendimento bancário

O chamado onboarding digital vai muito além da oferta de produtos e serviços. Pesquisa da Unisys mostra que apenas 9% dos entrevistados tiveram sucesso ao abrir uma conta 100% digital. Santander e Unibanco admitem complexidade e reforçam apoio à inovação.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G