TELECOM

Consumidor brasileiro quer logo o 5G para ter estabilidade na banda larga

Ana Paula Lobo ... 13/05/2019 ... Convergência Digital

Estudo global feito pela Ericsson mostra que, no Brasil, 50% dos entrevistados não estão satisfeitos com a experiência no 4G, especialmente nos grandes centros onde há reclamação de redes congestionadas. No mundo, esse percentual fica em 40%. "Fica claro que o 5G não será só para empresas ou para indústrias, como se tinha o mito até então", afirma, em entrevista ao Convergência Digital, o analista do Ericsson ConsumerLab, André Gualda.

Outro dado contabilizado pelo estudo, conta Gualda, é que o consumidor brasileiro quer, sim, ter o 5G o quanto antes, até porque a oferta de banda larga fixa não é a desejada. O levantamento apura que 30% dos respondentes disseram ter apenas um provedor de banda larga fixa na região onde moram. Apenas 1/4 dos entrevistados respondeu que tinham opções para contratar banda larga. "É fato que o Brasil avançou com a fibra óptica, mas precisa avançar muito mais. E o consumidor quer opções para escolher serviço e preço", observa Gualda.

Sobre as oportunidades, o especialista da Ericsson diz acreditar que as operadoras devem começar com o 5G como hotspots nas grandes cidades exatamente para melhorar a oferta da banda larga móvel dando a tão desejada velocidade e estabilidade desejada. "Muitos clientes reclamam que a banda larga não tem uma linearidade de serviços, que ela oscila muito. Com o 5G isso muda e os usuários estão dispostos a pagar até R$ 20 reais a mais para ter esse serviço melhor", assinala Gualda.

O levantamento da Ericsson apura que a metade dos chamados early adopters, aqueles que vão comprar os smartphones caros e contratarem os serviços de dados 5G tão logo eles sejam lançados, pagariam até 32% a mais pelo serviço se tivessem o 5G disponível. O relatório também aponta que um em cada cinco usuários de smartphones pode chegar a consumir mais de 200 GB por mês em um dispositivo 5G até 2025.

André Gualda ressalta que o fato de o Brasil entrar pelo menos dois anos depois no negócio do 5G dará condições para as operadoras entenderem melhor as estratégias que estão sendo lançadas nos Estados Unidos, Europa e Ásia. Na percepção do analista da Ericsson, o Brasil, como tendência, deverá seguir o modelo europeu e asiático, com o 5G funcionando como hotspot nos grandes centros e depois expandindo para as médias cidades.  O Ericsson ConsumerLab ouviu 35.000 usuários de smartphones com idades entre 15 e 69 anos, em 22 países diferentes, sendo 1500 usuários no Brasil.


Internet Móvel 3G 4G
4G:Claro supera rivais em experiência de navegação. TIM tem menor latência

Operadora tem vantagem de até 10% em critério que avalia a boa experiência em serviços como streaming e vídeochamada. Em latência, combinando 3G e 4G, a TIM fica à frente.  Estudo foi feito pela empresa canadense Tutela com mais de 16 milhões de smartphones.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

TIM quer infraestrutura única para cidades com menos de 30 mil habitantes

Para o CTIO da operadora, Leonardo Capdeville, não faz sentido infraestruturas diferentes em localidades onde a receita é mais baixa. CEO da TIM, Pietro Labriola, fala em IoT como fonte nova de receita.

Anatel mantém pente fino na recuperação judicial da Oi

Agência vai manter o grupo de trabalho criado para acompanhar a operadora. Também quer receber dados financeiros, fluxo de caixa atual, receitas e custos e financiamentos, além de eventuais alienações. Prazo dado à Oi para passar as informações é de 60 dias.

Uma em cada cinco conexões à internet fixa acontece por fibra óptica

Em 12 meses, proporção dos acessos registrados pela Anatel que usam a tecnologia passou de 12% para 20% do total. Cabo detém outros 30%. O Brasil contabiliza 6,33 milhões de acessos em fibra óptica. ISPs mostram força e já representam 21% do market share.

Smartphones puxam demanda global por carregadores sem fio

Segundo números da consultoria IHS Markit, em 2018 foram registrados embarques de 300 milhões de smartphones com essa tecnologia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G