NEGÓCIOS

Itaú dispensa 'maquininha' e lança carteira digital para pagar e receber pelo celular

Convergência Digital* ... 13/05/2019 ... Convergência Digital

Depois de acirrar a guerra das maquininhas, com uma agressiva campanha da Rede, o Itaú Unibanco, agora, dispensa a 'maquininha' e lança uma plataforma para pagar e receber só pelo celular. A solução também dispensa os cartões de crédito e débito.

Segundo o Itaú Unibanco, o iti entrega vantagens tanto para quem compra como para quem vende. Os pagamentos podem ser realizados em estabelecimentos comerciais ou entre usuários de maneira instantânea, 24 horas por dia, por meio de QR Codes. A plataforma, que dispensa o uso de maquininha e cartão físico, também garante aos lojistas, autônomos e empreendedores o recebimento de suas vendas na mesma hora.

“Estamos transformando o nosso modelo de negócio. Ter o iti será a maneira mais fácil e barata para um indivíduo, seja ele bancarizado ou não, receber e transferir seus recursos. Queremos ser protagonistas nessa construção de uma sociedade mais tecnológica, empreendedora e inclusiva”, afirma Márcio Schettini, diretor geral de Varejo do Itaú Unibanco.

Por ser uma plataforma 100% digital, sem necessidade de tangíveis e desvinculada do atendimento em agências, o iti permite uma redução significativa das taxas cobradas pelas transações dos lojistas e promete um novo patamar de preços no concorrido mercado de recebimentos e contas digitais.

Outro diferencial da plataforma é que ela será aberta. “Nossos clientes terão absoluta liberdade para entrar, sair e escolher com quais instituições querem se relacionar. Em nosso aplicativo, pagadores podem cadastrar cartões de crédito de qualquer instituição financeira ou creditar valores para qualquer conta bancária. Não é preciso ter cartão ou conta corrente Itaú para usar o iti. Ele está aberto para todos os brasileiros”, explica Livia Chanes, diretora e uma das idealizadoras do iti.

O iti foi concebido para ser uma plataforma digital simples de serviços financeiros ancorada numa conta digital, mas não vai parar por aí. Em breve, contará com produtos e soluções de crédito, investimentos, seguros, cartão de crédito e muito mais. Lançamento comercial está previsto para julho.

Como funciona:

Em poucos minutos o usuário pode ter acesso à plataforma. Primeiro, é preciso baixar o aplicativo gratuitamente e depois fazer o cadastro com alguns dados básicos, sem necessidade de comprovação de renda.

Em seguida, ele pode adicionar dinheiro à sua conta iti por meio de uma transferência ou pagando, onde ele quiser, um boleto gerado sem custo no próprio aplicativo. Após essa etapa, basta apontar a câmera do celular para o QR Code® para realizar pagamentos ou transferências gratuitas selecionando um contato na agenda. Também é possível cadastrar na plataforma cartões de crédito de qualquer instituição para pagar ou transferir.

Com o iti carregado, não é preciso carteira para sair de casa. Nem maquininha para fazer negócios. Os recebimentos dos lojistas também podem ser transferidos para

qualquer instituição financeira ou permanecer no iti, já que com a plataforma não é necessário ter conta em banco.

O iti estará disponível para smartphones iOS e Android já no terceiro trimestre de 2019 e promete evoluir constantemente de acordo com o retorno dos usuários.


Cloud Computing
Backup e arquivamento de dados pessoais são os maiores riscos à privacidade de dados

Nos próximos dois anos, as organizações que não revisarem as políticas de retenção de dados para reduzir o volume de informações armazenadas e, por extensão, os dados que são copiados, enfrentarão um enorme risco de não conformidade, bem como os impactos, no bolso, de uma eventual violação.

Por mercado de BPO, Lumen IT compra Superabiz

Valor da transação não foi revelado pelas partes. Expectativa da fusão é simplificar o acesso às soluções de compliance fiscal, jurídico e para o SPED.

#RioéTech abre programação do Rio Info 2019

Evento, que chega em 2019 a sua décima sétima edição, já gerou R$ 250 milhões em negócios. Pré-eventos serão realizados em diversas cidades do Estado do Rio de Janeiro para aproximar empresas e Academia.

TI fica ainda mais estratégica na disrupção digital

“Onde existir um elo mais fraco pode haver uma disrupção grande e entrar uma fintech, uma startup”, lembra o vice-presidente de serviços financeiros da BRQ, José Antonio Afonso Pires.

Unisys: open banking só existirá com a LGPD implementada no Brasil

"Os dois são interligados porque a premissa maior é a segurança da informação", observa o vice-presidente e líder da Vertical de Serviços Financeiros para América Latina, Luís Rego. Decisão do Banco Central de postergar a consulta pública sobre o tema tem pontos positivos e negativos.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G