Home - Convergência Digital

Mercado busca profissionais com habilidades cognitivas, sociais e emocionais

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 27/05/2019

Profissionais que dominem novas tecnologias e possuam habilidades cognitivas, sociais e emocionais terão mais espaço no mercado de trabalho. É o que aponta a Michael Page, consultoria especializada no recrutamento de alta e média gerência, parte do PageGroup. De acordo com a análise de consultores da companhia, essas habilidades são as mais buscadas nos setores de Energia e Mineração, Varejo, Indústria, Healthcare e Bancos e Seguros.

“Essa análise destaca muitas semelhanças nos padrões das competências mais requisitadas. Embora as habilidades sociais e emocionais estejam em demanda crescente em todos os setores, a necessidade de competências cognitivas básicas tende a diminuir nos segmentos bancário e industrial, a estabilizar nas áreas de saúde e a recuar ligeiramente no varejo”, explica Ricardo Basaglia, diretor-geral da Michael Page e Page Personnel, parte do PageGroup.

Bancos e Seguros

Os serviços financeiros têm estado na vanguarda da digitalização. O setor bancário e de seguros, provavelmente, terá uma mudança significativa na demanda por habilidades até 2030, principalmente por ter uma série de usos potenciais para a inteligência artificial (IA), especialmente na prevenção de risco, na personalização de serviços e na comercialização de produtos aos clientes.

O número de trabalhadores, como caixas, contadores e funcionários de corretagem, diminuirá à medida que a automação for adotada. A necessidade de uma força de trabalho que use apenas habilidades cognitivas básicas, como entrada e processamento de dados, alfabetização básica e numeração básica, provavelmente diminuirá bastante.

Enquanto isso, a demanda por especialistas em tecnologia e outros profissionais crescerá, assim como o número de ocupações que exigem interação com o cliente e gerenciamento. Esse aumento impulsionará um forte crescimento na demanda por habilidades sociais e emocionais.


Energia e Mineração

A automação e a inteligência artificial estão permitindo que as empresas exploradoras de minérios e fontes de energia aproveitem novas reservas, além de aumentar a eficiência da extração e da produção.

O trabalho manual previsível e as tarefas administrativas que envolvem a manipulação de dados, como a leitura de medidores, estarão suscetíveis a serem deslocados, enquanto a demanda por empregos tecnológicos será flutuante.

Espera-se que a demanda por habilidades físicas e manuais, juntamente com as habilidades cognitivas básicas, diminua, enquanto a demanda por habilidades cognitivas, sociais, emocionais e tecnológicas mais altas cresça verticalmente.

Healthcare

As novas tecnologias da quarta revolução industrial vão mudar a interação entre pacientes e profissionais de saúde. A demanda por provedores de cuidados, como enfermeiros e fisioterapeutas, continuará a crescer, enquanto a demanda por pessoal de apoio ao escritório sofrerá quedas devido à automação de tarefas relacionadas à manutenção de registros e administração.

A demanda por habilidades avançadas de TI, digitais básicas, de empreendedorismo e adaptação terá maior crescimento acumulativo. No entanto, a demanda por habilidades como inspeção de equipamentos e monitoramento de sinais vitais de pacientes irá estagnar, apesar do crescimento geral na área da saúde, à medida que as máquinas assumam tarefas mais rotineiras.

A saúde é o único setor em nossa análise em que a necessidade de habilidades físicas e manuais aumentará nos anos que antecedem 2030. Essa variação reflete as habilidades motoras mais brutas e a força necessária para ocupações como cuidadores de idosos e fisioterapeutas.

Produção

A próxima fase da automação e a aplicação da inteligência artificial na manufatura interromperá a contratação para funções de produção nas fábricas por meio de melhores análises e maior colaboração homem-máquina. Isso também terá impacto no desenvolvimento de produtos e no marketing de vendas.

A necessidade geral por habilidades físicas e manuais no setor está diminuindo mais do que o dobro em relação aos outros setores. Em relação às cognitivas básicas também está diminuindo, à medida que as funções de suporte ao escritório são automatizadas.

O número de profissionais, como representantes de vendas, engenheiros, gerentes e executivos, deve crescer. Isso levará ao crescimento da necessidade de habilidades sociais e emocionais, especialmente comunicação avançada e negociação, liderança, gerenciamento e adaptação.

Em relação à tecnologia, tanto habilidades avançadas de TI quanto habilidades digitais básicas, aumentarão à medida que mais profissionais de tecnologia forem necessários. A demanda por habilidades cognitivas mais altas crescerá, impulsionada pela necessidade de maior criatividade e processamento de informações complexas.

Varejo

A automação inteligente e a IA continuarão a remodelar a receita e as margens dos varejistas, pois as máquinas de auto verificação substituem os caixas, os robôs reabastecem as prateleiras, o aprendizado de máquina (algoritmos) melhora a previsão da demanda do cliente e os sensores ajudam no gerenciamento de estoque.

A participação de trabalhos manuais como dirigir, empacotar e armazenar em estoque, diminuirá substancialmente. Os trabalhos remanescentes vão, provavelmente, concentrar-se no serviço ao cliente, gerenciamento e implantação e manutenção de tecnologia.

A demanda por todas as habilidades físicas e manuais e pela entrada e processamento de dados básicos diminuirá, enquanto o crescimento será forte na demanda por habilidades interpessoais, criatividade e empatia. Habilidades avançadas em TI e programação juntamente com habilidades complexas de processamento de informações também terão um aumento na demanda.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Detox digital:"Empresas precisam descer do salto e entender as pessoas", diz executivo da BRQ

O chefe de Pensamento Exponencial da BRQ Digital Solutions, René de Paula Jr., defende que as pessoas precisam ficar offline. “As pessoas precisam sair das telinhas e viver."

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Banco Itaú monta estratégia para reter os melhores profissionais

O uso da metodologia Agile transformou o processo de negócios, e o desafio é conquistar e fidelizar os melhores especialistas, pontua o superintendente de Governança de Arquitetura, Processos e Práticas de TI do Itaú, Cecílio Cosac Fraguas.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site