Convergência Digital - Home

AWS: Brasil dá passos importantes para ser cloud first

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann* - 12/06/2019

Afiada sobre as mudanças regulatórias que o governo brasileiro vem adotando nos últimos anos, especialmente a estratégia que privilegia a adoção da computação em nuvem para oferta de serviços digitais, a vice-presidente da Amazon Web Services para setor público, Teresa Carlson, alinha o país entre aqueles que estão se preparando para a transformação digital. 

“No Brasil, além do nível federal, estamos vendo as coisas acontecerem também em nível estadual. O que faz sentido, seja pela demanda dos cidadãos, mas porque são entes com legislações e orçamentos próprios”, afirmou a executiva em entrevista ao Convergência Digital durante o 10º AWS Public Sector Summit, que acontece nesta semana em Washington, nos Estados Unidos. 

A AWS tem motivos para festejar o país, sua principal base na América Latina, e onde se tornou a fornecedora do que é a primeira ‘nuvem federal’, caminho pelo qual o governo quer fornecer serviços digitais. E já defende que o Brasil dê mais um passo, replicando o modelo de aquisições desenvolvido no Reino Unido para compras públicas de tecnologia. 

“Estou muito animada com o que estamos vendo no Brasil, porque vemos que estão sendo dados passos importantes. Mas uma coisa que poderia ser replicada no Brasil é a experiência do Reino Unido, que criou o que eles chamam de G-Cloud para licitações”, disse Teresa Carlson. Trata-se de um sistema criado ainda em 2012 pelo qual fornecedores, especialmente pequenas empresas, oferecem diferentes serviços ‘comoditizados’, como armazenamento, software e suporte, prestados por meio de ‘nuvem’ e oferecidos num ‘marketplace’ online semelhante as lojas de aplicativos. 

“Foi uma solução muito disruptiva, criada numa época em que o governo britânico gastava 90% do orçamento de TI com apenas 10 fornecedores. E isso tinha impactos financeiros e de segurança nos contratos, porque só era possível ter um número limitado de patches, por exemplo. O que deixava a escolha entre segurança e escalabilidade. Então eles foram além da ‘nuvem primeiro’, é ‘nuvem nativa’”, afirmou a vice presidente da AWS. 

* Luís Osvaldo Grossmann participa do Public Sector Summit a convite da AWS


Destaques
Destaques

Nuvem pública é usada no Brasil para back-up de dados e fluxos locais

A terceira edição da pesquisa Global Data Protection Index, encomendada pela Dell Technologies, mostra ainda que mais de 70% das empresas de médio e grande porte registraram incidentes com dados no Brasil, com um prejuízo médio de R$ 1,5 milhão.

Edge computing vai avançar 226% nos próximos cinco anos

Levantamento global da Vertiv mostra que o edge comuputing ganha papel estratégico no ecossistema de data centers pelo incremento do processamento de dados perto do ponto de uso.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site