Home - Convergência Digital

Senai faz acordo com AWS para ensinar tecnologia a 2,5 milhões de alunos

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann* - 13/06/2019

O Brasil precisa de 70 mil novos profissionais de tecnologia da informação por ano, mas dados do setor indicam que as escolas não dão conta de formar nem metade disso com conhecimentos atualizados. De olho nessa carência, o Senai acaba de firmar um acordo com a Amazon Web Services para acesso gratuito às plataformas educacionais da gigante americana da computação em nuvem, além de créditos para o desenvolvimento de aplicações na prática. 

“Colocar mão na massa é o meio mais efetivo de aprender. Não é apenas lendo e fazendo testes, mas praticando. Claro que os curso e o treinamento são muito importantes. Mas também damos créditos para que estudantes ou instrutores possam efetivamente desenvolver coisas, sem custos”, afirma o vice presidente internacional da AWS, Max Peterson, que esteve em Brasília na semana passada para firmar o que a empresa chama de aliança estratégica com o Senai. O acordo foi revelado ao Convergência Digital durante o AWS Public Sector Summit, em Washington.

A AWS Educate é uma plataforma de aprendizagem com 12 módulos, cada um deles com 30 horas de conteúdo sobre nuvem. Como reforçado pelos executivos da empresa, o acordo inclui os mencionados créditos para que os estudantes possam utilizar a nuvem da Amazon em diferentes projetos concretos. Se a partir daí essas ideias tiverem potencial de virar negócios, elas podem ir para uma outra plataforma, Activate, voltada para startups mas com a mesma mecânica. 

“Os conteúdos começam com conhecimentos básicos sobre computação em nuvem, mas vão até cibersegurança, desenvolvimento de aplicações móveis, análise de dados, por exemplo. É um programa 100% gratuito e auto-assistido para que os estudantes possam aprender sobre nuvem”, explica a gerente de desenvolvimento de negócios da AWS, Abby Daniell. 

Os cursos garantem uma certificação e a chance de distribuição dos currículos para as milhares de empresas parceiras da AWS. “Estamos atentos à questão dos empregos e nossa ideia é acompanhar isso mais de perto, de forma a demonstrar o impacto da qualificação em posteriores contratações. Nosso objetivo é que o aluno termine o curso na sexta-feira e esteja contratado na segunda”, revela o gerente geral de setor público da empresa para América Latina, Caribe e Canadá, Jeffrey Kratz. 

* Luís Osvaldo Grossmann participa da Public Sector Summit a convite da AWS, em Washington, nos Estados Unidos

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/09/2019
Universidade de Nova York escolhe empresa brasileira para projeto de nuvem

18/09/2019
AWS: Uso da nuvem no governo permite redução de até 30% nos custos

18/09/2019
Esgotamento do modelo datacenter impõe o uso da nuvem pelos órgãos públicos

16/09/2019
Graduação em Ciências de Dados terá 2610 horas

11/09/2019
Bayer usa nuvem para agilizar venda de ativos para a BASF

11/09/2019
Automação e IA exigem que Brasil reeduque sete milhões em três anos

09/09/2019
Centro de Inovação abre 100 vagas com jornada flexível e home office

09/09/2019
Governo prioriza banco de talentos para servidores federais

06/09/2019
Tecnologia nacional usa a nuvem para monitorar enchentes

05/09/2019
Embraer abre 150 vagas para estágio e usa Inteligência Artificial

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TRT julga dissídio coletivo de TI em São Paulo

Decisão garante reajuste de 3,43% em todas as cláusulas econômicas e ainda prevê que nenhum trabalhador pode ser demitido nos 90 dias a contar de 28 de agosto. 

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Dizer não é saudável para o ambiente de trabalho

A posição é defendida pelo diretor geral da Robert Half, Fernando Mantovani. Segundo ele, acumular tarefas e colocar prazos em conflito é um risco alto.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site