GOVERNO » Legislação

Cadastro positivo entra em vigor, mas sem regulamentação do Banco Central

Convergência Digital* ... 08/07/2019 ... Convergência Digital

Começa a valer nesta terça-feira, 9/7, o cadastro positivo compulsório – o repasse de informações financeiras dos brasileiros, sem necessidade de consentimento, a bureaus de crédito como Serasa e SPC. Criado pela Lei Complementar 166, o cadastro positivo é a base para atribuição de notas de crédito a cada cidadão, que serão utilizadas como referência na tomada de empréstimos, por exemplo. Mas ainda falta a regulamentação por parte do Banco Central.

O sistema já existia. A principal mudança é que até aqui era preciso autorização individual. Serão avaliados os “dados financeiros e de pagamentos, relativos a operações de crédito e obrigações de pagamento adimplidas ou em andamento”, conforme descrito na lei. Cada empresa vai definir a forma de adotar as notas e que tipo de restrição determinados índices podem trazer, como na diferenciação de condições, taxas de juros ou de acesso a serviços.

Os consumidores que não quiserem ter seus dados incluídos no cadastro positivo podem solicitar a retirada aos bureaus de crédito. Caso a pessoa desista da saída do sistema, pode pedir o retorno ao cadastro. Esses procedimentos podem ser realizados presencialmente ou por meio dos sites dessas empresas.

A promessa do novo cadastro positivo é que com tais informações, bancos, fintechs e outras instituições reduzam taxas e juros. Defensores da medida alegam que países que adotaram esse modelo tiveram queda de 45% da inadimplência, o que causou impacto na redução de spreads bancários.

* Com informações da Agência Brasil


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Microcity recebe certificação CertiGov

Selo de compliance garante a integridade, a conformidade da empresa e a qualifica a vender ao governo reduzindo riscos nas transações.

Dataprev encerra atuação em 20 Estados e quer demissão de 15% dos empregados

Estatal oficializa o Programa de Adequação de Quadro(PAQ) onde coloca como meta a saída de 493 empregados. Também anuncia a centralização das atividades em sete regiões, onde existem data centers e unidades de desenvolvimento.

Serpro fecha um contrato de R$ 34,8 milhões com o Governo Federal até 2025

Acerto é para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para a gestão de margem consignável do Sistema de Gestão de Pessoas do Poder Executivo. O contrato, mesmo com a possível privatização, tem vigência de cinco anos e extrapola até a própria gestão de Jair Bolsonaro à frente da presidência da República.

Sem dinheiro, Telebras desiste de comprar capacidade em cabo submarino

Estatal alega ter virado uma 'estatal dependente, apesar de todos os esforços despendidos para reverter a situação' e não tem mais recursos para arcar com o contrato firmado com a Ellalink Ireland. Cabo submarino ligará o Brasil a Portugal.

Governo não vê razão para adiar a vigência da Lei de Dados Pessoais

“Prazo não é problema. Esperamos que a Lei entre em vigor a todo vapor”, garante, em entrevista exclusiva ao Convergência Digital, o secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G