Home - Convergência Digital

TIM e Vivo avaliam ampliar compartilhamento também para o 3G

Luís Osvaldo Grossmann - 24/07/2019

O presidente da Vivo, Christian Gebara, disse nesta quarta-feira, 24/7, que a rede de telecomunicações necessária para um país das dimensões do Brasil é muito ampla e o compartilhamento recém-anunciado com a TIM é uma das formas de garantir essa cobertura. 

“É difícil acreditar que seremos capazes de sermos um player independente, construindo nós mesmos toda a rede que acreditamos ser necessária em um país do tamanho do Brasil”, afirmou o executivo durante apresentação dos resultados da companhia no segundo trimestre deste ano. 

“Ainda é cedo para falarmos de impacto. Vai depender dos resultados no Capex e Opex. Mas estou otimista de que isso pode funcionar. E podemos vir a expandir para o 3G também”, completou Gebara. Ele explicou que “é acordo diferente com o que fizemos com a Oi, que era em 2,5 GHz, para o 4G. No fim fizemos 1,3 mil sites, ou seja, cerca de 650 cada empresa. Este acordo com a TIM é mais agressivo em cidades e sites. Temos 90 dias para fazer acontecer. Estamos falando em 150 cidades cada.”

Segundo ele, “a ideia no 2G é trabalhar um única rede dividindo o footprint e fornecer serviços em metede do país cada, liberando frequências para uso em outras tecnologias, como 4G. Vamos começar fora das capitais para ver como funciona e podemos expandir para outras. Vai depender da análise nesses 90 dias antes da aprovação da Anatel. No 4G, o foco é em 700 MHz, em cidades com menos de 30 mil habitantes. Se funcionar, pode também ser ampliado para cidades maiores.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

10/08/2020
Por acordo com Anatel, TIM começa a ressarcir R$ 4 milhões em cobranças

31/07/2020
Ultrafibra da TIM chega ao Distrito Federal

30/07/2020
TIM espeta Highline: Transformar Oi em várias MVNOs não ajuda o cliente

29/07/2020
Unida às rivais pela Oi Móvel, Vivo entra na briga pela rede neutra de fibra

27/07/2020
TIM permite acumular franquia de dados no pós-pago TIM Black

21/07/2020
TIM fecha contrato de RAN para os próximos três anos

20/07/2020
TIM Live ultrapassa marca de 600 mil clientes

17/07/2020
TIM lança desafio para startups com soluções de IoT voltadas ao agronegócio

17/07/2020
Vivo abre processo seletivo para mais de 200 profissionais

15/07/2020
Vivo terá 5G DSS, mas cobra leilão do 3,5GHz no começo de 2021

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site