NEGÓCIOS

BBTS quer ser cada vez mais uma empresa voltada à TI

Convergência Digital* ... 21/08/2019 ... Convergência Digital

João Vagnes assumiu oficialmente o comando da BBTS, ex-Cobra, no lugar de Adriano Meira Ricci, que se aposentou. Vagnes atuou no Banco do Brasil como Gerente Executivo, na BB Previdência como Diretor Financeiro e de Investimentos, no Instituto Economus de Seguridade Social como Diretor Financeiro e, desde 2016, atuava como Diretor Executivo de Administração de Fundos e Gestão na BB DTVM. Sua participação em órgãos colegiados também foi expressiva, tendo sido membro dos Conselhos Fiscal e Deliberativo da Cassi, Conselho Consultivo da Previ e Conselho Deliberativo do Instituto Economus.

O novo presidente reforçou a estratégia da gestão anterior de levar a BBTS ao mercado para a aquisição de novos clientes. "A empresa está passando por um momento marcante em sua história e continuar firme na trajetória da transformação dos modelos de negócios, buscando aumento sustentável do resultado operacional é um objetivo desafiador. Seguiremos com a geração de novos negócios, oferta de produtos e serviços de maior valor agregado e diversificação de clientes", pontua Vagnes.

Uma das intenções de João Vagnes em sua gestão é transformar a BBTS em uma empresa ainda mais voltada à TI, oferecendo produtos mais inteligentes e sustentáveis. Para o presidente da BBTS, este é um importante passo para que a empresa se destaque nos segmentos de inovação na área de tecnologia e pesquisa, acompanhando o tsunami digital pelo qual as empresas passam neste momento.

"Acho que evolução é uma palavra que define bem o que estamos buscando com este movimento aqui na BBTS. O que queremos é investir em projetos e mentes criativas para juntos, dentro do conceito de ecossistema, buscarmos novas aplicações para soluções já desenvolvidas e outras que, pela necessidade dos clientes, possamos desenvolver", afirma Vagnes.

A BBTS surgiu na década de 70 como uma das pioneiras na fabricação de computadores no Brasil, época em que a empresa ainda se chamava Cobra – Computadores e Sistemas Brasileiros e seu objetivo era desenvolver tecnologia genuinamente nacional.

Nos anos 90 a empresa passou a fazer parte do conglomerado do Banco do Brasil, que adquiriu a maior parte de suas ações, e em 2013 se reposicionou no mercado alterando a nomeação para BB Tecnologia e Serviços - BBTS.

Atualmente a BBTS desenvolve soluções com inteligência artificial inovadora, estabelece parcerias estratégicas cada vez mais fortes e, com a otimização do seu portfólio, oferece serviços também para o mercado. Tudo isso alicerçado por datacenters de alta tecnologia, fábrica de software com equipe altamente qualificada e suporte técnico especializado por todo o país.









Assespro Paraná será um agente de crédito para empresas de TI

Entidade poderá intermediar créditos que variam de R$ 20 mil a R$ 1,5 milhão de reais. Empresas com faturamento entre R$ 360 mil a R$ 16 milhões podem se candidatar aos recursos.

Blockchain vira um vale de desilusão nas corporações

A advertência é feita pelo Gartner, uma vez que os gestores admitem que  boa parte dos projetos não consegue ir além da fase inicial de experimentação. A consultoria elenca sete erros cometidos pelas empresas, entre eles acreditar que exista um padrão de interoperabilidade e que a tecnologia está pronta para o uso.

Startup une blockchain e IA para dar o compliance exigido na LGPD

A gaúcha Privacy Tools, criada pelo grupo Maven, busca investidores para ganhar musculatura para atender às corporações em todo o País. "Os ajustes dos sistemas por conta da lei são obrigatórios e falta menos de um ano", afirma Aline Deparis.

Sicredi acirra a guerra das maquininhas e avança sobre os MEIs

Cooperativa anuncia a máquina compacta de cartões, que opera sem bobina e aceita os principais cartões, pagamentos por NFC (aproximação do celular) e faz recarga de celular pré-pago.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G