Convergência Digital - Home

Teles fazem prova de conceito com a FICO por tomada de decisão

Convergência Digital
Convergência Digital* - 09/09/2019

Pelo menos duas operadoras móveis estão fazendo prova de conceito com as soluções de análise de dados para tomada de decisão da FICO, especializada no segmento e com presença em todos os grandes bancos brasileiros. A intenção da companhia é anunciar o primeiro contrato na vertical de telecomunicações no Brasil até o final deste ano, revela o gerente regional de vendas da FICO, Igor Castroviejo.

"Não queremos tirar os fornecedores de análise de dados que trabalham com as teles. Nós queremos trabalhar junto. Vamos ser orquestradores para acelerar a tomada de decisão. Se os sistemas não falarem entre si, não há a jornada digital. O dado não vira informação", sustenta o executivo.

Em entrevista ao Convergência Digital, Igor Castroviejo e o diretor da FICO para serviços não financeiros, Fabio Goepfert, asseguram: a FICO não é um banco de dados nem briga nesse tipo de negócio. "Nós entramos para evitar que os silos se proliferem nas empresas na era digital e na era que a experiência do cliente é diferencial de concorrência", resssalta Goepfert.

Uma das apostas da FICO no País é a plataforma Decision Management Platform Streaming, capaz de transformar dados brutos em dados prontos para a decisão em tempo real. A solução já é usada lá fora em operadoras como a T-Mobile. “Acreditamos que há muito espaço aqui no Brasil. São dados de milhões de clientes precisando ser trabalhados”, diz Castroviejo.

O mercado brasileiro tem sido muito relevante para os negócios globais da FICO. E uma área cresce com a transformação digital: a cibersegurança. Tanto é assim que uma seguradora está fazendo uma prova de conceito para identificar proativamente ações de ransomwares. "Cibersegurança é muito estratégica para quem lida com clientes", ressalta Fabio Goepfert.

A entrada em vigor da Lei de Proteção de Dados Pessoais, em agosto de 2020, já mobiliza a busca por soluções de tomada de decisão e promete movimentar o mercado corporativo nos próximos meses. "Nós não temos uma solução específica para a LGPD, mas temos uma visão única dos dados dos clientes em tempo real", adiciona o executivo.

Segurança, de fato, é estratégica para a FICO. Tanto que a empresa recém-comprou a EZMCOM para agregar funcionalidades de segurança às suas soluções, entre elas, a biometria e o reconhecimento facial para reconhecimento de fraude. Os valores da transação não foram revelados.


Destaques
Destaques

Brasil investe menos que o mundo em proteção de dados na nuvem

No País, 56% das empresas alocaram verba em novas soluções para lidar com a proteção de dados em nuvem nos próximos 12 meses. No mundo, esse percentual está em 70%.

Prefeitura do Rio e TIM fecham parceria por big data no combate ao Covid-19

Informações coletadas vão auxiliar no controle do vírus, já que permitem implantar medidas que facilitem a tomada de decisões. Plataforma já foi utilizada na Copa do Mundo de 2014 e usa apenas dados anonimizados.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como gerenciar o caos da estratégia multicloud

Por Ivan Marzariolli*

Os gestores precisam de uma solução para atenuar os riscos de uma arquitetura multicloud e desafios operacionais, o que pode inclusive melhorar o compliance, a precisão e as necessidades de DevOps e SecOps, reduzindo o estresse na equipe de TI.

Segurança em nuvem na era da LGPD

Por Raul Leite*

Quando falamos de proteção da nuvem, as organizações devem ter em mente uma série de estratégias. A começar pela escolha minuciosa do provedor de serviços, que precisa estar preparado para os novos compromissos de privacidade. Também é necessário certificar se o armazenamento dos dados é feito de modo criptografado quando necessário pelo nível de sigilo da categorização de um dado.



Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site